Para evitar queda, Coxa poderá ter goleiro cobrando pênalti contra o Bahia

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Divulgação/Coritiba

    Wilson, destaque do Coxa no Brasileiro, agora será cobrador de pênaltis

    Wilson, destaque do Coxa no Brasileiro, agora será cobrador de pênaltis

Diante da crise, o Coritiba recua e muda para sobreviver. Esse é o espírito no clube para o jogo contra o Bahia, em duelo direto contra o rebaixamento, neste sábado, 16h, na Fonte Nova em Salvador. Ao contrário da empolgação do início da competição, o Coxa já não aspira Libertadores e coloca os pés nos chão. São seis jogos sem vitória e apenas três triunfos nos últimos 20 jogos. Neste Brasileirão, o Coxa desperdiçou quatro pênaltis que poderiam deixar o time mais confortável na tabela.

Por isso o técnico Marcelo Oliveira admitiu até que o goleiro Wilson pode passar a ser o batedor das penalidades. "É uma chance de jogo que não podemos perder. Nesta semana treinamos o Wilson para bater as penalidades", contou o técnico em entrevista à Rádio Banda B de Curitiba.

Uma reunião entre a comissão técnica e a direção de futebol invadiu a madrugada de segunda-feira após a derrota para o Botafogo em casa. Nela, uma avaliação do que fazer daqui para frente e o suporte da diretoria, que garantiu que não fará mudanças na comissão. A hora é de se fechar. No embarque para Salvador, o Oliveira procurou não transformar o jogo em uma final.

"Está ainda muito embolado, temos muitas possibilidades. Se você pegar a tabela, a classificação, do 12º até a nossa posição são quatro pontos. Não podemos pensar que tudo vai se definir no jogo do Bahia", argumentou. O próprio Bahia tem apenas três pontos a mais que o Coxa. Uma vitória alviverde troca as equipes de posição na tabela.

Entretanto, a preocupação da torcida coxa-branca é com a instabilidade da equipe, a cada dia mais pressionada. Manifestações e ofensas passaram a ser frequentes no Alto da Glória, o que chegou a fazer com que os jogadores agradeçam a mini sequência de jogos fora de casa (depois do Bahia, o Corinthians). O volante Alan Santos ponderou a situação. "Contra fatos não há argumentos. É fato que não estamos tendo o resultado que a gente quer, a torcida tem direito em nos cobrar. Não tem como eu argumentar aqui. Mas só nos resta trabalhar e reconstruir. A gente tem que refazer algo que a gente já fez no Campeonato Brasileiro, que foi um bom início."

Entretanto ele pediu mais paciência com as cobranças. "De benefício não traz nada. Quando estou fora do clube eu sou pai, tento ser dono de casa ajudando a minha esposa. Eu fico muito bravo numa derrota e tento trabalhar isso no carro, por que quando eu entro em casa minha filha vêm sorrindo para mim. Eu tenho que largar isso fora de casa. Alguns atletas que estão aqui nunca passaram essa situação. Às vezes o atleta muda de comportamento dentro de campo, perde confiança. Violência não traz nada."

O Coritiba que irá a campo colocará em primeiro lugar a necessidade de não perder. A promessa é de um time correndo mais que propondo o jogo. "A atitude vale mais que mil palavras. A gente tem que melhorar sim a nossa atitude dentro de campo", prometeu Alan Santos.

BAHIA X CORITIBA

Data: 30 de setembro de 2017, sábado
Horário: 16h (de Brasília)
Motivo: 26ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Fonte Nova, em Salvador (BA)

Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (PE)
Auxiliares: Clovis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE)

BAHIA:
Jean; Éder (Everson), Tiago, Thiago Martins e Juninho Capixaba; Edson, Juninho, Zé Rafael, Mendoza e Vinícius; Rodrigão.
Técnico: Preto Casagrande.

CORITIBA:
Wilson; Léo, Werley, Walisson Maia e Thiago Carleto (William Matheus); Alan Santos, Jonas, Matheus Galdezani e Anderson; Rildo e Henrique Almeida.
Técnico: Marcelo Oliveira.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos