Contrato deixa Palmeiras seguro após Cuca questionar própria permanência

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Ale Cabral/AGIF

    Cuca questionou a própria continuidade no Palmeiras depois do revés no Allianz Parque

    Cuca questionou a própria continuidade no Palmeiras depois do revés no Allianz Parque

"Quando acabar vamos ver se é bom continuar ou não, estamos muito abertos quanto a isso, também". Assim, de maneira misteriosa, o técnico Cuca encerrou a entrevista coletiva do último sábado, após a derrota para o Santos no Allianz Parque. Mesmo com o próprio treinador questionando a própria continuidade, o Palmeiras segue com o mesmo planejamento até então: prosseguir a parceria em 2018.

Há um fator preponderante que torna o Palmeiras seguro e serve de apoio ao presidente Mauricio Galiotte. Ao contrário do ano passado, quando assinou um contrato de compromisso curto, Cuca se comprometeu com o clube por um período maior. O contrato do treinador termina apenas em dezembro de 2018.

O próprio sentimento de quem trabalha na Academia de Futebol é diferente em relação ao ano passado. Em meio à disputa pelo título do Brasileirão de 2016, a permanência de Cuca era descartada. As conversas no ano passado pendiam para a saída, enquanto, em 2017, a confiança é na manutenção do compromisso.

Diante da segurança do contrato mais longo, Cuca tem a chance de derrubar um dos principais problemas encontrados neste ano: pegar o trabalho desde o início do ano. Mais de uma vez o técnico manifestou o desejo de iniciar o ano com um elenco que possua a sua cara.

"Meu desejo é de montar uma equipe como eu gosto. Pegar todos os meninos que eu tenho hoje valorizados e fazer um 'up', como é natural fazer. Na perda de jogadores, isso é natural. Gosto de fazer montagem. Esse ano não fiz por culpa minha. Meu desejo é ano que vem é buscar uma Libertadores e ser campeão em cima de uma montagem que eu possa fazer", declarou em agosto.

Cuca colocou o cargo à disposição depois da eliminação para o Cruzeiro na Copa do Brasil e deixou a diretoria à vontade para demiti-lo depois da queda na Libertadores. Com a confiança demonstrada de Mauricio Galiotte e Alexandre Mattos, no entanto, retomou o trabalho e, inclusive, já iniciou o planejamento para a próxima temporada, como mostrou o UOL na última quinta-feira.

Toda a confiança na manutenção do contrato, entretanto, não tira o sentimento de dejá vu na Academia de Futebol. O Palmeiras conviveu os últimos meses da temporada passada com a incerteza da permanência de Cuca; dentro do clube, o próprio não escondia o desejo de sair ao fim da Série A. Em 2016 não havia contrato que o garantisse para a atual temporada.

Cuca no ano passado alegou motivos "pessoais" para desistir da renovação e deixar a Academia de Futebol. Agora, mesmo com contrato mais longo e a garantia de ter uma pré-temporada após um ano até aqui frustrante, o treinador volta a recolocar dúvidas sobre a própria continuidade.

Embora publicamente tenha demonstrado dúvidas depois da derrota do último fim de semana, a confiança segue nas alamedas do clube alviverde. Cuca disse em agosto ser alguém que "cumpre" os contratos, e o Palmeiras mantém esta convicção de que contará com o campeão brasileiro de 2016 para iniciar o ano que vem.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos