Com o Cruzeiro em em alta, Rafael Sóbis se mostra incomodado com as vaias

Do UOL, em Belo Horizonte

O primeiro jogo do Cruzeiro após a conquista da Copa do Brasil foi o empate com o Corinthians, pelo Campeonato Brasileiro. Titular na ocasião, Rafael Sóbis foi muito mal no jogo. Ao ser questionado sobre o momento do jogador, o técnico Mano Menezes evitou falar, por causa do grande momento da equipe na temporada.

"Temos 34 jogadores no plantel, se não me engano, 33 estão bem. Não vou falar sobre o Sóbis, vou falar sobre os outros 33. Não é justo, no momento em que a gente é campeão da Copa do Brasil, escolhermos para falar do único que não está bem. Não é correto com o meu grupo", disse Mano Menezes, uma semana atrás.

Escalado como titular mais uma vez, contra a Ponte Preta, Rafael Sóbis repetiu o jogo ruim. O atacante foi substituído aos 24 minutos do segundo tempo, por Rafael Marques. Ao deixar o gramado do Mineirão, o camisa 7 do Cruzeiro foi bastante vaiado pelos pouco mais de 15 mil torcedores que estavam no estádio. Curiosamente, quatro minutos após a saída de Sóbis veio o empate cruzeirense e a virada logo em seguida.

Mas não foi a vitória por 2 a 1 o principal assunto para Rafael Sóbis. Foram as vaias. Algo que deixou o jogador bastante incomodado. Sóbis não ficou nada satisfeito em ser vaiado pela torcida cruzeirense, cerca de dez dias depois da conquista da Copa do Brasil.

"É difícil dizer, porque a gente vem num momento bom. O time vem de uns dez jogos invicto (já são 12), sem perder. E para que isso aconteça todo mundo tem uma parcela dentro de campo. Claro que a gente não gosta", comentou o atleta.

Apesar de ser um dos artilheiros do Cruzeiro na temporada, com 12 gols anotados, Rafael Sóbis passou a ser bastante cobrado após viver um longo jejum. Foram 17 jogos sem gols, entre o marcado contra o Coritiba, pela 10ª rodada do Brasileirão e o tento que acabou com a seca, contra o Atlético-GO, pela 25ª rodada da competição.

"Injusto ou não, acho que é difícil eu falar. Mas o momento é de apoio, até porque a gente vive um grande momento. Não é o que a gente quer escutar. Claro que o momento não é o melhor, mas, acima de tudo, o Cruzeiro é mais forte. Eu estou aqui não para fazer gol, para querer jogar melhor que ninguém, estou aqui para ajuda", completou o atacante, que deve ser mantido no time para o confronto com o Grêmio, nesta quarta-feira, em Porto Alegre.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos