Allione lamenta veto em reencontro e diz não pensar em volta ao Palmeiras

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Felipe Oliveira / EC Bahia

    Acordo entre Palmeiras e Bahia vetou Allione do confronto desta quinta no Pacaembu

    Acordo entre Palmeiras e Bahia vetou Allione do confronto desta quinta no Pacaembu

O meia Agustín Allione está fora do jogo do Bahia contra o seu ex-time, Palmeiras, no Pacaembu, nesta quinta, por um acordo entre os dois clubes no momento do empréstimo. O argentino encara a situação com "respeito" e alguma frustração, como revelou em uma entrevista ao UOL Esporte.

"Ninguém gosta de ficar fora, ainda mais em um jogo importante como este, contra um dos principais clubes do Brasil. Não sei o que ficou decidido entre as diretorias, então preciso respeitar", declarou o jogador.

Emprestado até o fim da temporada pelo Palmeiras, o jogador deixou o clube pelo pouco espaço que teria neste ano. Fora o fato de que o fim de 2016 para o meia-atacante não foi bom. A expulsão na eliminação contra o Grêmio, na Copa do Brasil, trouxe resistência por parte dos torcedores.

Allione, entretanto, não vê o lance como responsável por encurtar a sua passagem pelo Palmeiras – o contrato do argentino vale até o meio de 2019. "Os jogadores e o Cuca me deram apoio e confiança, tanto que continuei no time no jogo seguinte. Fiquei chateado e triste, mas são coisas que acontecem e servem para a gente amadurecer."

Rubens Cavallari/Folhapress
Allione foi expulso no jogo que decretou a queda do Palmeiras da Copa do Brasil

Na ocasião, Cuca manteve o argentino na equipe titular por duas partidas (Sport e Santos) até como sinal de apoio após a expulsão, decisiva na eliminação. Depois destas oportunidades, porém, Allione acabou preterido até o fim do Campeonato Brasileiro.
 
Agora no Bahia, o argentino esquece o passado na Academia de Futebol para se focar na briga contra o rebaixamento. O meia, inclusive, evita projetar um possível retorno ao Palmeiras ao fim do empréstimo com o clube soteropolitano.
 
"Confesso que não penso muito nisso. Neste momento, o meu único objetivo é focar no Bahia e ajudar a equipe a vencer os jogos no Brasileiro. O meu futuro eu deixo nas mãos do meu empresário [Tomas Budelli]. Quando chegar a hora, iremos conversar a respeito", comentou.
 
Vida no Bahia
 
Depois de assistir ao jogo desta quinta, Allione volta à disposição do técnico Paulo César Carpegiani – além do argentino, o zagueiro Thiago Martins e o volante Matheus Sales também estão vetados de atuarem por pertencerem ao Palmeiras. O jogador, apesar de lamentar a troca no comando nesta parte da competição, elogiou o novo comandante.
 
"Ficamos chateados porque o Preto era um cara legal. Infelizmente, o time não conseguiu alcançar as vitórias e a diretoria acabou decidindo mudar o técnico. Todos nós somos culpados e precisamos nos doar cada vez mais para melhorar a posição do time na tabela. Não tinha muitas informações sobre o trabalho do Carpegiani, mas esses primeiros dias foram muito bons e produtivos", disse.
 
Allione disse "não ter o que reclamar" da diretoria sobre a decisão e o planejamento para este Campeonato Brasileiro. No entanto, enxerga que o elenco se encontra fora da posição planejada para a temporada – a briga contra a queda à Série B.
 
"O Brasileiro é um campeonato bem equilibrado e a gente acabou tendo alguns jogos abaixo do esperado, mas acredito que as coisas vão melhorar. O nosso elenco tem jogadores muito bons e não pensamos em rebaixamento", encerrou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos