Palmeiras patina na "hora H", esquece sonho de título e pede autocrítica

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

Depois de muito sonhar e adotar discurso positivo por uma arrancada que seria histórica, o Palmeiras admitiu pela primeira vez em 2017 que o título já não é algo plausível. Técnicos e jogadores trocaram o discurso de "vamos colocar uma sequência incrível" para "pensar jogo a jogo".

Os tropeços contra Santos e Bahia em casa fizeram a palavra frustração ser repetida diversas vezes. Justamente na "hora H", como definiam os alviverdes no dia a dia, a equipe falhou. Mais do que isso.

As apresentações instáveis mesmo na vitória, como foi no caso no triunfo contra o Coritiba, fazem os líderes do elenco pedirem uma autocrítica.

"Não vi jogo tranquilo em momento nenhum. O placar sim, mas o jogo em momento nenhum. Às vezes o placar encobre. Quem está há mais tempo no futebol, avalia isso. No segundo tempo, não tivemos um jogo tranquilo e por precisar da vitória sofremos muitos sustos", afirmou Fernando Prass.

"No outro campeonato (título de 2016) foram várias situações, não é uma coisa só (que falta). Faltou manter o mesmo ritmo do primeiro tempo, principalmente com a bola no pé. Com a bola você controla, não é pressionado. Como não tivemos qualidade com a bola, abrimos espaços para contra-ataques perigosos e eles tiveram alguns em que por pouco não fizeram o gol", completou.

Dudu, outro que também exerce grande influência no elenco, afirmou que é hora de aceitar a nova realidade.

O Palmeiras agora tem 44 pontos, 14 atrás do líder Corinthians e a nova preocupação de não sair da zona que dá uma vaga direta para a fase de grupos da Libertadores.

"Nossa realidade é o G4. Temos de tentar nos manter no G4 para ir para a Libertadores direto. O título ficou mais difícil. Temos de lutar pelo G4 e ir para a Libertadores direto mesmo", afirmou o camisa 7.

Antes dos últimos tropeços, o Palmeiras definia como fundamental ter uma arrancada que começou no triunfo contra o Coritiba e Fluminense. Depois, o time perdeu para o Santos e apenas empatou com o Bahia. Os dois próximos adversários são Atlético-GO e Ponte Preta.

Moisés, que também está entre os atletas mais importantes do elenco, foi mais direto. Além de pedir uma nova mentalidade, admitiu que seu desempenho está abaixo do esperado.

"O título já estava distante. Aí você tem dois jogos em casa, chances de aproximar um pouco, e não consegue nenhuma vitória nesses dois jogos. Então, o título fica longe. Temos de pensar em G4, e garantir a vaga na Libertadores", explicou.

"É claro que não estou no mesmo nível do ano passado, isso é fato. Mas tenho treinado e procurado melhorar a cada dia. Infelizmente, ainda não consegui atingir aquele nível. Tenho focado bastante, e continuo treinando para treinar tentar evoluir", finalizou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos