Borja faz dois, mas Palmeiras só empata com Cruzeiro e alivia Corinthians

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo (SP)

Dos males, o menor. O Palmeiras pressionou, exigiu participação ativa do goleiro Fábio, e buscou o empate contra o Cruzeiro. Com dois gols de Borja - o último no fim -, o time alviverde ficou no 2 a 2 contra o Cruzeiro na noite desta segunda-feira, no Allianz Parque, em duelo pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado impede o atual campeão nacional de encostar de vez no arquirrival Corinthians e depender apenas de si para levantar o troféu.

O empate dentro de casa, que interrompe uma sequência de três vitórias consecutivas sob o comando de Alberto Valentim, deixa o Palmeiras com cinco pontos (54) de desvantagem em relação ao Corinthians (59), derrotado na rodada pela Ponte Preta no último domingo (1 a 0). Restam sete jogos para o fim da competição.

O Cruzeiro, por outro lado, assumiu a quinta colocação com o empate conquistado na capital paulista. O time de Mano Menezes, já com a vaga assegurada na Copa Libertadores da América com o título conquistado da Copa do Brasil, soma 48 pontos e supera o Botafogo nos critérios de desempate – oito a sete no saldo de gols, no caso.

As duas equipes agora terão uma semana cheia de trabalho antes de retornarem a campo pelo Brasileirão. O Cruzeiro recebe o Atlético-PR no domingo, às 17h (de Brasília), no Mineirão. O Palmeiras, por outro lado, terá nova chance de entrar firme na briga pelo título: enfrenta o arquirrival e líder Corinthians, em Itaquera, também no domingo às 17h.

Quem foi bem: Borja

Daniel Vorley/AGIF
Borja anotou dois gols nesta segunda e evitou a derrota do Palmeiras no Allianz

O colombiano desencantou de vez. Novamente com uma sequência como titular, Borja apresentou-se para tabelas, saiu da área e ainda foi decisivo. Dois gols que evitaram o pior no Allianz Parque.

Quem foi mal: Juninho

O zagueiro palmeirense teve uma atuação muito aquém do esperado. Além de anotar o gol contra que abriu o placar em favor do Cruzeiro, o camisa 4 apresentou falhas de posicionamento na cobertura de Egídio. O Palmeiras sofreu pelo setor.

Cruzeiro sai na frente com gol contra e torcida tenta ajudar

O Cruzeiro saiu na frente logo no início do jogo em uma jogada pela esquerda, nas costas de Mayke. O lateral tentou cortar a bola que foi para Diogo Barbosa, não conseguiu afastar e viu o cruzamento ir direto para a área. Juninho foi fazer o corte e colocou a bola contra a própria meta. A torcida reagiu imediatamente gritando ainda mais forte para tentar ajudar a equipe.

Linha alta

Desde o primeiro minuto, o Palmeiras tentou encurralar o Cruzeiro com uma linha de marcação bem alta. Enquanto a bola estava no campo adversário, os palmeirenses ficavam praticamente na linha de meio-campo, quase que anulando a chance de lançamentos à distância. Keno, Dudu e Borja também pressionavam bastante a zaga adversária na saída de bola.

Borja salva Palmeiras

O Palmeiras aproveitou o apoio ininterrupto de sua torcida para pressionar o Cruzeiro. O time paulista segurou o adversário no seu campo de defesa por quase todo o primeiro tempo e conseguiu empatar com Borja, que aproveitou rebote de Fábio para empatar. O colombiano ainda quase virou com uma cabeçada no lance seguinte. Ele errou a mira ao desviar bola de Egídio. O camisa 9 foi o responsável por evitar a derrota: definiu o placar aos 40min da etapa final.

Polêmica?

O Palmeiras chegou a virar o jogo com Borja. O colombiano disputou com Manoel e conseguiu testar a bola para o fundo do gol de Fábio. Heber Roberto Lopes anulou o lance alegando falta do palmeirense, para reclamações dos jogadores e, principalmente, dos torcedores presentes no Allianz Parque na noite desta segunda-feira. A equipe da casa ainda questionou pênalti não-marcado em Keno, ainda na primeira etapa.

Palmeiras manda no jogo, e Fábio salva

Precisando da vitória para se aproximar do arquirrival Corinthians, o Palmeiras atuou como quem quer brigar pelo título nacional. Desde o início, com a marcação alta e velocidade na troca de passes no ataque, o time de Alberto Valentim comandou o jogo e exigiu grande intervenção de Fábio, em chute de Dudu na etapa final. Mais tarde, o camisa 1 ainda salvou os cruzeirenses em cabeçada de Edu Dracena.

Lei do ex vale para o Palmeiras também

Se ontem o palmeirense comemorou o gol de Lucca da Ponte Preta, contra o Corinthians, nesta segunda, viu a lei do ex funcionar de novo. Dessa vez, foi Robinho que conseguiu o êxito. O meio-campista recebeu a bola pela direita, disparou em contra-ataque e esperou Fernando Prass cair para colocar o Cruzeiro novamente à frente.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 x 2 CRUZEIRO

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data: 30 de outubro de 2017 (segunda-feira)
Horário: 20h (de Brasília)
Público: 37.961
Renda: R$ 2.832.058,35
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Assistentes: Helton Nunes e Thiaggo Americano Labes (ambos de SC)
Cartões Amarelos: Lucas Romero e Robinho (Cruzeiro)

Gols:
CRUZEIRO: Juninho (contra), aos 6min do 1º tempo; e Robinho, aos 19min do 2º tempo
PALMEIRAS: Miguel Borja, aos 35min do 1ºtempo, e aos 40min do 2º tempo

PALMEIRAS: Fernando Prass; Mayke, Edu Dracena (Luan), Juninho e Egídio; Tchê Tchê, Jean (Róger Guedes) e Moisés; Keno (Deyverson), Miguel Borja e Dudu.
Técnico: Alberto Valentim.

CRUZEIRO: Fábio; Ezequiel, Manoel, Murilo (Digão) e Diogo Barbosa; Henrique e Lucas Romero; Rafinha, De Arrascaeta (Lucas Silva) e Thiago Neves; Rafael Marques (Robinho).
Técnico: Mano Menezes.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos