Coritiba e Avaí negam-se a demitir técnicos e querem colher na estabilidade

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Thiago Ribeiro/AGIF

    Claudinei Oliveira é rara exceção entre 22 trocas de técnicos no Brasileirão

    Claudinei Oliveira é rara exceção entre 22 trocas de técnicos no Brasileirão

Quando entrarem em campo às 21h deste sábado, no Couto Pereira, Coritiba e Avaí terão mais em comum que os 35 pontos e o drama de tentar sair da zona de rebaixamento do Brasileirão. Ambos seguraram seus treinadores no momento de maior crise das equipes, na contramão das demissões frequentes dadas como solução em momentos ruins.

É bem verdade que o Coxa foi menos convicto. Demitiu Pachequinho, campeão estadual, para trazer Marcelo Oliveira. O badalado bicampeão brasileiro pelo Cruzeiro entre 2013 e 14 chegou a peso de ouro e com o aval de quem conduziu os melhores anos recentes do Coxa. Mesmo assim, enfrentou nove jogos sem vitória e pressão da torcida por sua demissão. Ficou. Em carta publicada com a assinatura de todos os diretores ainda em setembro, Oliveira ganhava estabilidade.

"Nada foi feito a esmo. Por isto mesmo esta diretoria tem como obrigação acreditar neste time e no trabalho desenvolvido até agora. Manteremos o foco no trabalho atual, confiando e cobrando do elenco", dizia o texto, após uma derrota para o Botafogo (2 a 3) em casa. O time viria a vencer somente após outros três jogos, mas já são três de invencibilidade e 7 pontos em 9 jogados. Saiu da zona de rebaixamento.

Quem entrou no lugar do Coritiba foi o Avaí de Claudinei Oliveira, um sobrevivente no Brasileirão de 22 trocas de técnicos. Avaí, Fluminense, Botafogo, Cruzeiro e Corinthians são as exceções, sendo que os catarinenses passaram 25 das 31 rodadas na degola. Claudinei não balançou e ainda teve o contrato renovado para 2018.

"O trabalho é conceituoso, muito bem armado dentro de campo, é elogiado pela imprensa nacional. Tudo isso aí nos fez crer que ele possa nos tirar dessa situação. Eu penso assim: se mudarmos o treinador, até ele se adaptar, até os jogadores se adaptarem, vão dois, três jogos. O nosso presidente, Francisco Batistotti, já renovou para o ano que vem, independente de Série A ou B", contou Joceli dos Santos, diretor de esportes avaiano, que fez uma avaliação sincera da briga do Avaí na Série A: "Óbvio, pelo que o Avaí tem condições de gastar, a gente sabia que íamos ter dificuldade."

Em 2016, Claudinei assumiu uma equipe ameaçada de queda para a Série C e conduziu uma arrancada espetacular, como lembra Joceli. "O trabalho do dia a dia. Ele está com a gente desde de julho ano passado. Quando ele assumiu aqui, nós estávamos a 2 pontos da zona de rebaixamento da (Série) B. E ele conseguiu nos levar pra Série A."

CORITIBA X AVAÍ

Data: 04 de novembro de 2017, sábado
Horário: 21h (de Brasília)
Motivo: 32ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Couto Pereira, em Curitiba (PR)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Michael Correia (RJ) e Silbert Faria Sisquim (RJ)

CORITIBA: Wilson; Léo, Werley, Cleber Reis e Thiago Carleto; Jonas, Alan Santos e Yan Sasse (Rafael Longuine); Tiago Real, Rildo e Keirrison (Kléber).
Técnico: Marcelo Oliveira.

AVAÍ: Douglas; Leandro Silva, Betão, Alemão e Capa; Judson, Pedro Castro e Marquinhos; Luanzinho, Junior Dutra e Romulo.
Técnico: Claudinei Oliveira.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos