Reservas do Grêmio decidem e fazem do Brasileiro 'prova' para Libertadores

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

Restam quatro jogos para o Grêmio até a final da Libertadores, cujo jogo de ida é dia 22, contra o Lanús, da Argentina. E nestes confrontos, os reservas querem mostrar serviço. O jogo de domingo, contra o Flamengo, foi decidido por uma dupla suplente e começou a provocar interrogações ao técnico Renato Gaúcho.

O Flamengo vencia por 1 a 0 até os 23 minutos quando, ao mesmo tempo, entraram Everton e Beto da Silva. O primeiro marcou dois gols e o segundo deu assistência para o gol de Luan. O Tricolor venceu por 3 a 1.

"O jogador tem que aproveitar as oportunidades. Todos querem jogar e só posso escalar 11", sintetizou Renato.

E está cada ficando difícil. Entre idas e vindas, o equatoriano Arroyo deixou os planos imediatos. Mas a posição pelo lado esquerdo do meio-campo segue vaga. Fernandinho não foi bem e saiu vaiado. Everton é quem ganha força por ali.

"Todo jogador precisa de sequência, comigo não é diferente. O Pedro (Rocha) teve sequência e para felicidade dele acabou sendo vendido. Todos precisam de sequência para ser aproveitado, seja quem for", disse Everton.

Pesa contra a titularidade dele, entretanto, o rótulo de 'jogador de segundo tempo'. Quando entra no decorrer dos jogos, o Cebolinha, como é chamado, costuma ir melhor.

"Tem o fato de quando entramos no segundo tempo, o time adversário está cansado e tem mais espaço. Hoje entramos, eu e o Beto, e exploramos os espaços que o Flamengo estava dando", completou. "É bom. Sabemos que não dependemos de 11 jogadores. Quando eu era reserva, era necessário entrar com vontade, volume, para aumentar a qualidade e a determinação. Quem entra está descansado e o Everton tem mostrado isso durante toda temporada. Nosso grupo é muito forte e depender de todos é fundamental", acrescentou Fernandinho.

No ataque a dúvida também pesa. Jael começou a partida e não foi bem. Mesmo que tenha sido defendido por Renato Gaúcho, que justificou a má jornada pela falta de ritmo, o jogador já foi preterido por Cícero diante do Barcelona-EQU e agora ganhou Beto da Silva também como concorrente. Isso na impossibilidade de contar com Lucas Barrios, o dono do posto.

"A disputa é sadia, o grupo é bom, todos respeitam o companheiro. E o jogador tem que aproveitar as oportunidades, seja o tempo que for. Tem que estar focado no trabalho o tempo todo. A disputa existe em todas as posições e eu estou ligado, atento, vendo as coisas. O jogador tem que mostrar quando tem oportunidades. Teve vezes que o Everton não foi tão bem, o Fernandinho entrou e mudou o jogo. O torcedor pode ficar tranquilo que sabemos muito bem o que estamos fazendo aqui dentro", explicou Renato Gaúcho.

O Grêmio chegou aos 54 pontos e retomou o terceiro lugar no Brasileiro. Agora pega a Ponte Preta na próxima quarta-feira. Depois ainda tem duelos com Vitória, São Paulo e Santos antes de iniciar a decisão do título da América com o Lanús.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos