Corinthians reage contra Palmeiras e afasta crise com retorno de arma letal

Diego Salgado

DO UOL, em São Paulo

  • Daniel Vorley/AGIF

    Fagner em ação contra o Palmeiras: líder conseguiu jogar de forma reativa novamente

    Fagner em ação contra o Palmeiras: líder conseguiu jogar de forma reativa novamente

O líder de futebol reativo voltou à tona na vitória sobre o Palmeiras. Diante do maior rival e sob pressão, o Corinthians usou novamente a sua arma letal do primeiro turno para afastar a crise no clube. Com menos posse de bola, assim como nos melhores momentos do campeonato, o time de Fábio Carille conseguiu ser mais efetivo.

O cenário é considerado ideal pelo próprio treinador mesmo atuando em casa. Antes do confronto com o Flamengo, por exemplo, na reta final do turno inicial do Brasileirão, Carille ressaltou que o Corinthians iria esperar o adversário atacar. Na ocasião, o técnico usou a expressão "humildade para marcar, fazendo o jogo sem bola."

No jogo decisivo diante do Palmeiras, o roteiro positivo voltou a acontecer. Contra um rival que adiantou suas linhas defensivas e teve a bola no pé na maior parte do tempo, o Corinthians conseguiu ter espaços ao acelerar o jogo, quase sempre explorando os lados do campo, com Clayson e Romero.

O estilo de jogo imposto pelo Corinthians deu chances ao líder de mostrar traços do bom futebol desempenhado no primeiro turno. Em 37 minutos, o time alvinegro já havia feito três gols - em 12 jogos do returno, foram apenas oito bolas na rede.

Alexandre Schneider/Getty Images
Corinthians voltou a marcar três gols

No clássico, o Corinthians teve apenas 43% de posse de bola, menor índice registrado desde a última rodada do primeiro turno. Naquela ocasião, a equipe de Carille também fez três gols e derrotou o Sport em Itaquera sem sustos.

Times passaram a dar a bola 

Antes da partida contra o Palmeiras, o Corinthians viu os adversários minarem sua arma letal. Para se ter uma ideia de como isso foi colocado em prática, o time alvinegro teve mais posse de bola em dez dos 13 jogos do segundo turno. No primeiro, a equipe foi reativa em 11 dos 19 duelos.

Com a bola nos pés nos confrontos do segundo turno, o Corinthians sofreu e acabou derrotado cinco vezes. Além do clássico, o time também foi reativo contra o Bahia (49%) e o São Paulo (48%). Diante dos baianos, os corintianos saíram derrotados. Dos são-paulinos, arrancaram um empate por 1 a 1 no Morumbi.

Aproveitamento desaba com mais posse

Nos 32 jogos do Brasileirão, o Corinthians teve mais posse de bola em 17 oportunidades. O aproveitamento é sofrível: 47%, com seis vitórias, seis empates e cinco derrotas.

O desempenho de líder aparece quando o estilo reativo é colocado em prática. São 14 jogos atuando dessa forma, com aproveitamento de 83% - 11 vitórias, dois empates e apenas uma derrota. No clássico com o Santos, marcado pela vitória corintiana por 2 a 0, a posse de bola foi exatamente igual.

Curiosamente, o Corinthians também deu a bola ao Palmeiras no duelo no primeiro turno. O líder teve 39% de posse de bola e fez 2 a 0 no rival com somente três finalizações ao gol.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos