Beto da Silva supera "pior momento da vida" e mira promoção no Grêmio

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • Lucas UebelDivulgação

    Filho de pai brasileiro e mãe peruana, Beto da Silva ficou quase 6 meses se recuperando

    Filho de pai brasileiro e mãe peruana, Beto da Silva ficou quase 6 meses se recuperando

Quanto vale uma assistência para gol? Nas contas de Beto da Silva, 20 anos, muito. Depois de seis meses vivendo entre dores musculares, lesões e desconfortos, o meia-atacante do Grêmio encara uma sequência diferente. O passe para a conclusão de Luan, fechando o triunfo diante do Flamengo no último domingo, tem sabor de vitória na bagagem do peruano.

Contratado em janeiro do PSV, da Holanda, Beto é filho de pai brasileiro e mãe peruana. Não teve lá muitos problemas para se adaptar a Porto Alegre, mas sofreu na migração ao jogo e aos treinos no Brasil. Foram vários problemas em série em um primeiro semestre longo.

"Foi bem difícil, um dos momentos mais difíceis da minha vida… Eu ainda estava sozinho em Porto Alegre, minha família não tinha chegado. E eu queria muito jogar, ajudar, mas passou. Estou bem, superei completamente", conta.

Contra o Fla, o camisa 19 entrou juntamente com Everton e participou da virada. A jogada do terceiro gol começou com ele. Ao pressionar Rafael Vaz, vencer a dividida junto à linha lateral e depois correr em direção ao gol. Quando parecia engatilhar o chute, deu passe para Luan.

"Pouco a pouco vou ganhando meu espaço. A cada minuto que ganho, tento dar o máximo. Eu entrei, acho que fui bem e tive até uma assistência. Espero, quem sabe mais para frente, pegar o meu espaço no time", comenta.

A boa atuação na Arena completa um ciclo. O primeiro gol de Beto no Grêmio foi diante do Fluminense. Ali, a comissão técnica esperava por um crescimento contínuo, mas diante do Avaí ele entrou no segundo tempo, ficou abaixo do projetado e acabou perdendo espaço. A lesão de Lucas Barrios empurrou Jael para o time titular e abriu uma nova porta.

Opção imediata no domingo e alternativa também nesta quarta-feira (8), contra a Ponte Preta. Beto da Silva deve ter nova chance para provar outra dose do futebol brasileiro. Um jogo onde a velocidade é alta e a força física também se faz muito presente.

"Eu sempre ouvi falar que é um jogo muito forte, de nível alto, e agora estou vendo isso de perto. (O futebol brasileiro) Tem muita força e velocidade em todos os times. Todo jogo é muito parecido nesse lado", afirma.

Com passagem pela base do Grêmio e revelado pelo Sporting Cristal-PER, Beto da Silva chegou a ser convocado para a seleção principal do Peru, sendo tratado pela imprensa local como reserva imediato de Paolo Guerrero. O primeiro semestre cheio de lesões adiou um retorno ao time de Ricardo Gareca, mas o treinador mantém contato até hoje em busca de relatórios.

No Grêmio, Beto da Silva é visto como um nome a ser lapidado. Um atacante que atua preferencialmente pelos lados do campo e que pode entrar na disputa com Everton em 2018. Ambos correndo atrás de uma vaga no time titular. Mas enquanto o ano não termina, todo gol e assistência é uma vitória. E toda vitória ajuda a construir algo mais forte.

FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA X GRÊMIO

Data e horário: 08/11/2017 (quarta-feira), às 19h30 (Brasília)
Local: estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (SC)
Auxiliares: Kleber Lucio Gil (SC) e Neuza Ines Back (SC)

PONTE PRETA: Aranha; Emerson, Yago, Rodrigo e Jeferson; Fernando Bob, Elton, Jadson e Danilo Barcelos; Lucca e Emerson Sheik
Técnico: Eduardo Baptista

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Léo Moura, Rafael Thyere, Bressan e Marcelo Oliveira; Jailson, Michel, Ramiro, Jean Pyerre (Patrick) e Fernandinho (Everton); Jael
Técnico: Renato Gaúcho

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos