Depois de sete meses, Shaylon deve ser titular do SP; veja os motivos

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • MARCELLO FIM/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

    Jogo contra o São Bernardo, no Paulistão, foi o último do meia como titular

    Jogo contra o São Bernardo, no Paulistão, foi o último do meia como titular

Enquanto Christian Cueva batalha pelo sonho de classificar o Peru para a Copa do Mundo de 2018, em duelos de repescagem contra a Nova Zelândia, o São Paulo tenta encontrar um substituto na criação das jogadas. E o favorito para iniciar a série de três jogos sem o camisa 10 tem sangue novo. Shaylon, de apenas 20 anos, deve ser o titular do Tricolor às 20h desta quinta-feira, no Pacaembu, contra a Chapecoense.

Está praticamente definido que o garoto começará o duelo válido pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ele treinou entre os titulares na última terça-feira e, se nada ocorrer até o jogo contra os catarinenses, voltará a começar uma partida em campo depois de mais de sete meses. Em 29 de março, na última rodada da fase de grupos do Campeonato Paulista, o armador criado em Cotia foi titular no triunfo por 1 a 0 sobre o São Bernardo.

Dar mais espaço a Shaylon era um desejo antigo de Dorival Júnior. O técnico já se mostrava atento ao jovem desde os tempos em que comandava o Santos e quando acertou com o Tricolor manifestou a intenção de usá-lo com mais frequência. A fase conturbada do clube, porém, com luta árdua contra o rebaixamento, foi adiando os planos, enquanto o camisa 20 crescia cada vez mais de produção nos treinamentos.

A comissão técnica vê o meia com mais características semelhantes às de Cueva, que gosta de entrar na área para fazer companhia a Pratto. No sub-20, em 2016, Shaylon foi o terceiro que mais fez gols no elenco e foi artilheiro no título da Copa do Brasil da categoria. Além disso, agrada por não guardar posição. Está sempre se movimentando, fugindo da marcação e dando opção para tabelas e triangulações.

Esses são atributos que também aparecem em Lucas Fernandes, um dos concorrentes à vaga de Cueva. Os dois garotos eram os favoritos desde o princípio a sair jogando contra a Chape, deixando os experientes Thomaz, Maicosuel e Gómez para trás. O que fez Shaylon ganhar a disputa é o fato de que Lucas já teve uma sequência como titular - sete partidas - com Dorival. Assim, o time deve atuar nesta quinta com Sidão, Araruna, Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar; Jucilei, Petros, Shaylon, Hernanes e Marcos Guilherme; Pratto.

Na última segunda-feira, quando os titulares da vitória sobre o Atlético-GO já haviam sido liberados para descansar, a formação principal tinha ataque com Shaylon, Lucas Fernandes e Brenner. O trio de revelações de Cotia mostrou entrosamento elevado, com trocas de posição e tabelas que deixaram os marcadores atrapalhados e a comissão técnica impressionada. 

O potencial desses três, inclusive, faz com que a busca por reforços para o setor ofensivo não seja uma prioridade para 2018. A avaliação é de que valerá mais a pena trabalhar para desenvolver o trio na reta final desta temporada. Shaylon, por exemplo, atua em uma função em que diversas vezes é preciso estar de costas para a marcação, algo que exige maior maturidade e mais ritmo de jogo. Até aqui, o garoto só fez 13 partidas como profissional, sendo duas como titular - e mesmo assim marcou dois gols.

Agora, o meia poderá iniciar um jogo exatamente contra o clube de onde saiu para defender o São Paulo. De 2013 a 2015, Shaylon foi jogador da Chapecoense. Ele atuou emprestado ao Tricolor até janeiro deste ano, quando foram pagos R$ 500 mil para comprá-lo - divididos entre dinheiro e o empréstimo do lateral-esquerdo Reinaldo aos catarinenses por um ano. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos