Elano se defende de críticas e minimiza protesto e cusparadas da torcida

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

Após a derrota de virada do Santos para o Vasco por 2 a 1 nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, em jogo válido pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, o técnico Elano viu o ambiente sair do "ceú ao inferno". Depois de uma vitória perfeita em sua estreia diante do Atlético-MG, o treinador foi questionado sobre a sua estratégia no tropeço santista e ainda viu o torcedor pressionar o time com xingamentos e até cusparadas.

Elano foi questionado se não deveria ter fechado o time pois vencia a partida até aos 39 minutos do segundo tempo e demonstrou irritação em sua resposta.

"Se eu soubesse que o cara estaria sozinho teria colocado 15 zagueiros. Não estou preocupado só em fazer o gol, os jogadores que estão lá estão para defender, cada um em sua posição. Feliz foi o cara que acertou um chute daquele. Me posicionei para defender bem e contra-atacar. E se coloco outro volante e tomo, também? Não tem certo ou errado, tentei fazer o que era melhor para o Santos. Tudo isso acarreta situações de perguntas e coisas negativas. Estou chateado, mas estou no barco para conseguir essas vitórias", afirmou Elano. 

Já em relação ao protesto da torcida santista, Elano repetiu a postura de seus antecessores e fez alusão ao ano eleitoral do clube. Em dezembro, o presidente Modesto Roma concorre a reeleição. Além disso, o treinador minimizou a postura dos torcedores, apesar da hostilidade. David Braz reclamou de ter sofrido cusparadas na saída de campo.

"Não posso condenar os torcedores do Santos. Nós sabemos o ano que o clube passa. Quem fez isso foi uma minoria. Eu, como comandante, estou à frente. Não sei nem se consigo dormir, pois também sou um torcedor, um apaixonado. Os jogadores entendem, não ficam contentes. Amanhã [quinta-feira] acertamos o que precisa ser acertado internamente para que possamos na segunda-feira travar uma grande batalha contra a Chapecoense", justificou Elano.

"Não podemos dar margem para aumentar isso [cusparadas dos torcedores]. O torcedor é importante para nós, não condeno. Nem sempre fui elogiado aqui, também, já fui muito criticado. Moramos no país em que o futebol é apaixonante. Estava dando entrevista há três dias sendo completamente elogiado e comento isso. No Brasil é importante ter cuidado com os elogios porque, quando perde, a cobrança é pesada. O atleta paga quando não dá certo e no santos há cobrança é grande porque aqui sempre jogaram grandes jogadores. Vamos para casa chateados, mas temos que passar a borracha", completou.

O Santos, que iniciou a rodada como o time com mais chances de alcançar o rival, permitiu que a diferença aumentasse de seis para nove pontos. Se não bastasse a vitória do Corinthians em Curitiba, o Grêmio também conquistou três pontos fora de casa. Os gaúchos venceram a Ponte Preta e "roubaram" a vice-liderança do Santos.

Agora o Corinthians segue na liderança com 65 pontos ganhos, enquanto Grêmio e Santos somam 57. Após a derrota para o Vasco, o Santos volta a campo somente na próxima segunda-feira, quando encara a Chapecoense, às 20h (de Brasília), na Arena Condá, em Chapecó, em duelo válido pela 34ª rodada da competição.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos