Felipe Melo prevê festa por volta com vinho e promete "não vazar áudio"

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

Felipe Melo voltou a ser titular do Palmeiras após quase quatro meses e não escondeu a satisfação. O retorno com vitória – 2 a 0 sobre o Flamengo, que deixa o time alviverde em situação confortável na briga pelo G-4 do Campeonato Brasileiro – vai resultar em comemoração por parte do volante, que, desta vez, prometeu ser mais cauteloso.

Em tom leve e descontraído depois da partida, Felipe Melo prometeu comemorar com um bom "vinhozinho" o resultado positivo. Porém, desta vez, promete "não vazar áudio", como o que tornou pública a insatisfação do meio-campista com o técnico Cuca, chamado de "mau caráter" pelo camisa 30 antes de afastá-lo durante um mês.

"Vencendo os jogos dessa maneira que vencemos. Se vencermos, tudo vai ficar mais tranquilo para a gente poder trabalhar. Hoje vou poder chegar em casa agora, tomar um vinhozinho, uma champagne...sem vazar áudio, né? Isso é muito importante [risos]", brincou Felipe Melo, relembrando a polêmica com o antecessor de Alberto Valentim.

O meio-campista não era titular desde 26 de julho deste ano, quando participou da eliminação para o Cruzeiro na Copa do Brasil. Durante este período, Felipe Melo foi afastado por Cuca, voltou, atuou com o antigo treinador e agora, enfim, volta a ser titular. O jogador mostrou-se satisfeito com o retorno e agradeceu ao torcedor que o ovacionou neste domingo.

"Muito foi se falado nestes 3 meses e 10 dias. Fiquei trabalhando quieto, correndo bastante e perdi ainda mais peso; sabia que precisaria estar abaixo do meu peso para voltar, porque faltaria ritmo. Agradeço a Deus, minha família, minha esposa e meu amor Roberta. Não é fácil", desabafou o atleta.

O ex-seleção brasileira ficou em campo até os 11 minutos do segundo tempo e deu lugar a Thiago Santos após sentir cansaço e dores na coxa. Felipe Melo amenizou as dores e tratou de comemorar o tratamento recebido pelo público após ser ovacionado no anúncio da escalação e na saída do gramado.

"Cheguei no Palmeiras e tudo estava saindo da melhor maneira: na seleção do Paulista, classificado na Libertadores. De repente, tudo desmorona. (...) Quando você fica fora durante um tempo e o torcedor grita o seu nome, é algo que é a realização de todo jogador. Muito feliz de poder ter trabalhado e hoje colher este fruto do trabalho que tive", acrescentou.

Felipe Melo ainda minimizou o protesto ocorrido mais cedo na Academia de Futebol. O ônibus com a delegação palmeirense foi atingido por pamonha e pipoca, em situação que assustou alguns jogadores. O volante, ao invés de comentar mais profundamente a hostilidade do ato, preferiu enaltecer o apoio durante o jogo no Allianz Parque.

"Cobrança excessiva no palmeiras não existe, cobrança é justa. Não tem jeito, é time grande. Então nós temos que saber lidar com essa situação e essas críticas. É bom frisar que o torcedor cobrou fora do estádio, aqui dentro apoiou durante os 90min", encerrou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos