Renato aumenta lista de poupados e Grêmio pega o Santos sem 14 nomes

Do UOL, em Porto Alegre

  • Lucas Uebel/Gremio FBPA

    Everton é um dos reservas que o Grêmio irá preservar diante do Santos, domingo

    Everton é um dos reservas que o Grêmio irá preservar diante do Santos, domingo

Um time inteiro e mais três reservas fora. O Grêmio ainda não esboçou a escalação que vai pegar o Santos, na 36ª rodada do Brasileirão, mas Renato Gaúcho já avisou quem não joga. Além dos titulares, que já haviam sido sacados de antemão, o treinador informou nesta sexta-feira (17) que não irá liberar a escalação de Léo Moura, Michel e Everton.

Todos eles, titulares e suplentes, serão preservados de olho na final da Copa Libertadores, contra o Lanús-ARG.

"Vão ficar uns 14 ou 15 jogadores. Esses jogadores vão ficar. Eles estão com ritmo de jogo, estão jogados, e seria um risco muito grande botar eles contra o Santos. Poderia acontecer alguma coisa. Eles não têm necessidade de jogar", disse Renato Portaluppi em coletiva.

Antes da entrevista, o treino no CT Presidente Luiz Carvalho não indicou a formação. A preservação dos suplentes tem lógica. Léo Moura é reserva imediato de Edilson e também opção para o meio-campo. Michel era dono da vaga de volante, mas perdeu espaço por conta de artroscopia no joelho esquerdo e crescimento de Jailson. Já Everton é um talismã do time.

"No futebol nunca se pode falar em 100%, mas tem muitas coisas já definidas na minha cabeça. Alguns jogadores vão enfrentar o Santos e esses sim precisam de ritmo. Os que vão ficar não precisam de ritmo. E aí seria um risco de lesão. Nesse longo tempo todo mundo teve oportunidade, começando ou entrando. Não importa se em cinco ou 90 minutos", comentou o treinador do Grêmio.

A lista de relacionados, que indicará o time reserva, será divulgada apenas no sábado. A escalação na Vila Belmiro poderá influenciar na formação do banco de reservas do Grêmio para o primeiro jogo diante do Lanús-ARG, na quarta-feira, em Porto Alegre.

"Tenho uma ou outra dúvida no banco. Vai depender deles, só posso levar sete para o banco. Não vou ao jogo, mas estarei de olho", alertou Renato. "O (jogo vai servir para dar ) ritmo de jogo para o Cristian, para o Jael. Eles precisam jogar e buscar ritmo. E mais um ou outro jogador para ter ritmo. A gente nunca sabe o que pode acontecer, né?", completou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos