São Paulo só empata com o Botafogo, mas fica livre do risco de queda

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

iv>

Christian Cueva descumpriu o combinado com o São Paulo, se atrasou na volta da seleção peruana, foi multado, mas ganhou chance de Dorival Júnior. Ainda que tenha entrado somente no segundo tempo, deu nova cara ao jogo contra o Botafogo neste domingo. Uma partida marcada por dezenas de erros de passe e outras falhas técnicas. Um 0 a 0 que livra de vez o Tricolor do risco de rebaixamento no Campeonato Brasileiro, mas só com a ajuda do Vitória, que empatou com o Cruzeiro em Salvador.

São Paulo não poderá mais ser alcançado graças ao confronto direto entre Ponte e Vitória na próxima rodada, adversários direto na briga contra o rebaixamento. Se por um lado o São Paulo não cai mais para a Série B, o empate sem gols contra o Botafogo também elimina qualquer pretensão de classificação à Libertadores. Para o Botafogo, o empate serviu para se manter no G7.

No próximo domingo, os são-paulinos, agora com 46 pontos, vão ao Paraná encarar o Coritiba no Couto Pereira, às 17h. No dia seguinte, às 20h, o Bota visita o Palmeiras no Allianz Parque para tentar sair dos 50 pontos.

As duas torcidas deixaram o Pacaembu frustradas com desempenho e placar. O jogo pobre tecnicamente só teve momentos de perigo no segundo tempo, com recuperações heroicas de Rodrigo Caio e Bruno Alves, evitando chutes cara a cara de Sidão, e uma chance incrível perdida por Pratto. O argentino recebeu sozinho na área, deslocou Gatito Fernández e mandou na trave.

E Cueva, que foi alvo de críticas da torcida no último sábado por ter faltado a treino no CT da Barra Funda, mostrou que ainda está em alta com os tricolores, que pediram sua entrada logo no primeiro minuto do segundo tempo. O peruano entrou motivado, ganhou divididas, levantou o Pacaembu com dribles, mas não conseguiu mudar o resultado do jogo.

Os melhores

Do lado tricolor, os principais nomes de uma tarde de futebol pobre foram Rodrigo Caio e Jucilei. Os dois mostraram muita segurança e categoria para conter os ataques do Botafogo e foram armas para qualificar a saída de bola. Bruno Alves também merece ser citado, por salvar gol certo dos cariocas. Entre os botafoguenses, os destaques também foram um zagueiro e um volante: Igor Rabello e Rodrigo Lindoso eram as armas para frear o veloz ataque são-paulino.

Os piores

O São Paulo teve em Petros e Marcos Guilherme suas piores peças neste domingo. O primeiro errou muitos passes e atrasou alguns contra-ataques por esses erros técnicos. Já o segundo fica em baixa por quase não ter participado da partida. No Botafogo, os piores foram Bruno Silva e João Paulo, muito mal na transição para o campo ofensivo.

Calma, rapaziada!

Ainda no começo do jogo, Igor Rabello custou a recuar uma bola, Pratto se aproveitou e arrumou escanteio. O zagueiro não gostou da demora de Gatito para se apresentar para receber a bola e uma discussão foi iniciada. O lateral-direito Arnaldo precisou intervir.

Ale Cabral/AGIF
Shaylon levou perigo ao Botafogo no primeiro tempo no Pacaembu

Juventude é a arma

Se decidiu deixar Cueva entre os reservas, Dorival Júnior conseguiu cumprir um objetivo que traçava desde a chegada ao São Paulo: lançar Lucas Fernandes e Shaylon juntos no time titular. Os garotos começaram em ritmo acelerado, com boa movimentação e toques rápidos. Aos poucos, porém, Lucas caiu de produção e foi trocado por Cueva na segunda etapa. Enquanto isso, Shaylon seguiu sendo um dos mais lúcidos do Tricolor. As duas únicas chances de gol, inclusive, foram com ele: uma enfiada surpreendente que Pratto não dominou e um chute forte de fora da área, defendido por Gatito no ângulo. 

Sem referência, mas sem velocidade

No Botafogo, Jair Ventura optou por escalar um time sem referência no ataque, com Brenner entre os reservas. A dupla de ataque com Rodrigo Pimpão e Guilherme serviria para aumentar ainda mais a velocidade dos contra-ataques, principal característica do Glorioso, mas a formação não surtiu efeito. O meio de campo carioca esteve muito lento na transição para o campo ofensivo e pouco acionou os atacantes no primeiro tempo.

Ale Cabral/AGIF
Pimpão teve trabalho para duelar com Rodrigo Caio neste domingo

Susto...

Os botafoguenses tentaram reparar o erro da etapa inicial e impor um ritmo mais acelerado na volta do intervalo. Assim, Arnaldo deu belo cruzamento nas costas de Militão, que não viu a chegada de Pimpão. O atacante esperou, rolou para trás e Lindoso chegou batendo. De maneira heroica, Bruno Alves, substituto do suspenso Arboleda, se atirou no meio do caminho e evitou o gol dos visitantes.

...e resposta!

Pouco depois, o São Paulo reagiu, também na base da velocidade. Pratto fez belo lance de pivô no meio de campo e deixou Lucas Fernandes livre para disparar. O meia saiu de dois marcadores, não tocou para Marcos Guilherme, que entrava livre pelo lado esquerdo da área, e bateu. O chute saiu fraco e Gatito fez defesa segura.

Alexandre Schneider/Getty Images
Pratto não era capitão há 19 jogos, quando passou a faixa a Hernanes

Frustração de capitão

Já com Cueva em campo e a torcida mais animada - a área mais nobre do Pacaembu chegou a vaiar Lucas Fernandes -, os tricolores buscaram jogo mais agressivo. Em boa arrancada pela esquerda, Edimar achou Pratto sozinho nas costas de Arnaldo e inverteu a jogada em passe rasteiro. O argentino, que voltou a ser capitão na ausência de Hernanes, teve tempo de dominar e escolher o canto, mas acertou a trave, cara a cara com Gatito. Aos 32 minutos, deu lugar a Gilberto e deu a faixa de capitão a Petros.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO 0X0 BOTAFOGO

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 19 de novembro de 2017, às 17h
Público/Renda: 23.745 pagantes /25.711 presentes / R$ R$ 635.360,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Bruno Raphael Pires e Leone Carvalho Rocha (ambos de GO)
Cartões amarelos: Gilberto (no banco) e Petros (SAO); Carli, Bruno Silva e João Paulo (BOT)

SÃO PAULO: Sidão, Militão, Bruno Alves, Rodrigo Caio e Edimar; Jucilei; Petros, Lucas Fernandes (Cueva), Shaylon (Júnior Tavares) e Marcos Guilherme; Pratto (Gilberto). Técnico: Dorival Júnior.

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Arnaldo, Carli, Igor Rabello e Victor Luis; Rodrigo Lindoso, João Paulo, Bruno Silva (Gilson) e Léo Valencia (Marcos Vinicius); Rodrigo Pimpão e Guilherme (Brenner). Técnico: Jair Ventura.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos