Topo

Esporte


Jailson pode ter última chance para afastar "sombra" maior do que Prass

Marcello Fim/Raw Image/Estadão Conteúdo
Jailson volta ao time titular do Palmeiras com a suspensão de Fernando Prass Imagem: Marcello Fim/Raw Image/Estadão Conteúdo

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

2017-11-27T04:00:00

27/11/2017 04h00

Invicto em 23 partidas com a camisa do Palmeiras em Campeonatos Brasileiros, tratado pela torcida como um xodó e respeitado por elenco e diretoria. Jailson carrega uma série de fatores positivos para jogar no clube. Entretanto, em 2017, aparições do camisa 14 se tornaram raras em virtude da recuperação do ídolo Fernando Prass. Nesta segunda-feira, no Allianz Parque, o goleiro de 36 anos tem nova chance como titular, mas agora com uma “sombra” ainda maior do que o colega de elenco.

Já reserva em 2017, Jailson pode ter espaço ainda menor na temporada de 2018. Além de renovar com Fernando Prass, que, suspenso, desfalca o Palmeiras no jogo contra os cariocas, o goleiro campeão como titular no ano passado deve conviver com mais um concorrente de peso. O Palmeiras procura um goleiro, e o nome mais forte é o de Weverton, campeão olímpico com a seleção brasileira na Olimpíada do Rio de Janeiro.

As negociações com Weverton devem acelerar após o fim do Brasileirão. O jogador do Atlético-PR tem contrato até o fim de abril e poderá assinar um pré-contrato com outro clube a partir da próxima semana. Caso queira contar com o medalhista olímpico no início do ano, o Palmeiras é obrigado a pagar uma multa aos paranaenses.

Jailson, por outro lado, renovou no ano passado até dezembro de 2018 sob a expectativa de se manter como titular. Fundamental na conquista do Brasileirão de 2016 ao se sustentar invicto durante os 19 jogos em que atuou, o carismático jogador, um dos mais queridos do elenco, começou a temporada no banco de um recuperado Fernando Prass e precisou ser paciente.

Avener Prado/Folhapress
Jailson foi um dos destaques do título do Palmeiras no Brasileirão do ano passado Imagem: Avener Prado/Folhapress

Nesta temporada foram apenas nove partidas. Jailson atuou nos dois amistosos palmeirenses em janeiro (Chapecoense e Ponte Preta) e diante do Audax pelo Campeonato Paulista, no mês de março. O goleiro só voltou à meta em julho, bancado por Cuca em meio a uma instabilidade da equipe no Brasileirão – dois jogos depois da derrota para o Corinthians, no Allianz Parque.

O goleiro reforçou o papel de talismã e engatou uma sequência de cinco partidas, quatro delas pela Série A (Flamengo, Sport, Avaí e Botafogo) e uma pela Copa do Brasil (empate por 1 a 1 e eliminação diante do Cruzeiro). Foram três vitórias e dois empates que asseguraram Jailson como titular no duelo mais importante da temporada: Barcelona-EQU, pelas oitavas da Copa Libertadores.

O confronto diante dos equatorianos, porém, significou uma nova mudança no ano do camisa 14. O Palmeiras venceu, mas acabou eliminado nos pênaltis de maneira precoce. Jailson, por outro lado, sofreu uma lesão considerada rara nos quadris e parou por um mês, período no qual Fernando Prass recuperou a posição de titular.

A nova chance vem quase quatro meses depois, em virtude da suspensão de Prass. Mas, diante de uma iminente procura do Palmeiras por um novo goleiro para 2018, Jailson tem uma oportunidade para espantar a concorrência externa e se fortalecer para a próxima temporada. Aumentar para 24 o número de jogos invictos em duelos pela Série A ajuda o goleiro a “dar um recado” e afastar uma sombra que se constrói com Weverton.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS x BOTAFOGO

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data: 27 de novembro de 2017 (segunda-feira)
Horário: 20h (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva e Cristhian Passos Sorence (ambos de GO)

PALMEIRAS: Jailson; Mayke, Yerry Mina, Edu Dracena e Zé Roberto; Felipe Melo, Tchê Tchê e Moisés; Keno (Willian), Miguel Borja e Dudu.
Técnico: Alberto Valentim.

BOTAFOGO: Gatito Fernández; Arnaldo, Joel Carli, Igor Rabello e Gilson (Victor Luis); Rodrigo Lindoso, João Paulo, Bruno Silva e Marcos Vinicius; Rodrigo Pimpão e Brenner.
Técnico: Jair Ventura.

Mais Esporte