Promessa de 19 anos do Grêmio corre por fora de olho no Mundial: "Um sonho"

Do UOL, em Porto Alegre

Jean Pyerre brilhou em Grêmio e Atlético-MG. Mesmo com a derrota do time de transição, foi o meio-campista que roubou a cena. Até ser parado pelas cãibras, fez um gol, deu assistência, e ditou o ritmo do jogo. De olho em vaga no Mundial, ele corre por fora, tem poucas chances, mas deixou boa impressão.

Ele abriu o placar. Depois de falta batida por Dionathã, na barreira, uma enfiada o encontrou cara a cara com Victor. Minutos atrás o goleiro havia defendido. Agora ele não deu chances colocando nas redes.

Na hora da comemoração, foi até as câmeras de transmissão do jogo e 'cornetou' o Inter. Fez 'um minuto de silêncio', música que virou moda depois do título da Libertadores.

E não foi só gol e corneta. Depois do empate do Atlético-MG, partiu dos pés de Pyerre uma enfiada fora do comum. Mesmo longe, ele encontrou uma diagonal perfeita para penetração de Pepê, que balançou as redes.

Saiu antes do fim do jogo, com cãibras. Não estava presente quando o Galo virou a partida.

Inscrito na pré-lista de 35 nomes para o Mundial de Clubes, ele nutre sonho de ser colocado como substituto de Arthur, lesionado, na relação. Mesmo que o mais provável seja Leonardo Gomes, conforme adiantou a direção de futebol do clube.

"O Jean eu conversei com ele: hoje você conseguiu representar o que fazia na base, no profissional. O Patrick era uma troca que seria certa, mas pela circunstâncias eu tive que fazer outras. Acreditamos muito nele, está dentro do elenco e é um garoto muito promissor", disse o técnico César Bueno.

"Se quiserem contar comigo, estou à disposição. Se não quiserem, estarei torcendo por todos eles. Seria uma experiência unica para mim, é um sonho. Mas se não acontecer, sou novo ainda, então pode acontecer outra vez. Só tenho a agradecer ao professor Renato, o professor Gabeira (Alexandre Mendes, auxiliar técnico), por terem me dado uma chance no principal", comentou Jean Pyerre.

Nem volante nem meia

Aos 19 anos, Jean se define como um jogador que 'gosta da bola'. Para ele, a posição é pouco importante, desde que possa fazer o time jogar.

"Não sou volante nem meia. Gosto de me movimentar para onde a bola estiver e sempre fazer o time jogar. Como o Luan, como faz o Lucas Lima", explicou. "Vemos ele mais como um segundo volante, mais a função do Athur. Com características diferentes, mas faz a posição dele", sublinhou o treinador.

Aprendendo com os ídolos do passado, como Ronaldinho Gaúcho, ou  do presente, como Pogba e Iniesta, Jean Pyerre se prepara para 2018, e ainda nutre uma pontinha de esperança para o Mundial deste ano.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos