Presidente do Flu se revolta com acréscimos de árbitro: "Foi uma afronta"

Do UOL, em São Paulo

O presidente do Fluminense, Pedro Abad, criticou a arbitragem de Flavio Rodrigues de Souza após a vitória por 1 a 0 contra o Cruzeiro, neste domingo (22), no Maracanã. O dirigente se revoltou com os oito minutos de acréscimo dados pelo juiz no segundo tempo, quando muitos jogadores do time carioca precisaram de atendimento com câimbras.

Além disso, ele também viu falta de critério na marcação de faltas. Por outro lado, Abad achou justa a expulsão de Gilberto, que recebeu o cartão vermelho direto aos 14 minutos do primeiro tempo após acertar chute na cabeça de Sassá.

"Estão todos de parabéns e orgulharam o torcedor, que apoiou o time até o final, mas não dá para não falar o que foi a arbitragem hoje. É impossível. Não é choro de quem perdeu, estou falando depois deu uma vitória. A expulsão do Gilberto foi justa, tem a questão se ele sofreu falta antes ou não, mas o lance da expulsão era para cartão vermelho", disse.

"Mas a discussão é a falta de critério durante o jogo. Queria lembrar de um jogo que teve paralisação de falta de luz ou alguém que não parava de sangrar e tenha tido oito minutos de acréscimo. É normal ter câimbra, mas oito minutos foi uma afronta. Além disso, o juiz só foi dar cartão amarelo pros jogadores do Cruzeiro no finalzinho do jogo. O que aconteceu hoje é lamentável, absurdo e vejo isso acontecendo nos jogos contra o Fluminense e não a favor. Não existe oito de acréscimo, foi uma vergonha, acho lamentável", prosseguiu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos