Lanterna com índices de Libertadores: os números do Paraná no Brasileirão

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Liamara Polli/AGIF

    Silvinho lamenta jogada errada: Paraná tem índices de G6, mas apenas um ponto

    Silvinho lamenta jogada errada: Paraná tem índices de G6, mas apenas um ponto

Uma defesa que vem se tornando rotineira nas entrevistas do técnico Rogério Micale é a citação dos índices do Paraná Clube no Brasileirão. Com um ponto em cinco rodadas, o Tricolor ainda não venceu na volta à Série A, mas, na avaliação do treinador, tem jogado bem. Os índices em quesitos ofensivos dão razão à Micale – mesmo que os resultados não.

O Paraná é o quarto time com mais posse de bola média (52,6%), atrás de Atlético-PR, Grêmio e Flamengo e acima de Corinthians e Palmeiras. É o quinto em finalizações certas e o primeiro no índice geral, contabilizando toda bola que foi arrematada em gol: 75 chutes, com 27 deles acertando o alvo – o líder nesse quesito é o Atlético-MG, com 40. O Paraná é o oitavo time que mais desarma o adversário (80), o sexto que mais troca passes certos (1909) e o terceiro que consegue mais dribles certos (14). Os índices são do Footstats.

Com índices positivos, Micale vê que a tabela foi cruel com o Paraná nessas cinco primeiras rodadas. "Nós tivemos o São Paulo em São Paulo, que é uma grande equipe. Tínhamos o Corinthians em casa, o atual campeão brasileiro. E tínhamos o Sport. Esse resultado realmente não foi bom pra gente. O Sport em casa, realmente, a derrota foi ruim. Saímos contra a Chapecoense fora, empatamos um jogo que está dentro do campeonato que a gente está disputando. Jogar contra o Santos aqui, na Vila Belmiro. Uma derrota. É ruim? É ruim. Mas também é uma equipe que sempre briga num posto mais alto. Então assim: Sport e Chapecoense somamos um ponto. É lógico que a gente quer ganhar de todo mundo, mas tem que saber avaliar as situações", disse o treinador.

Uma coisa a se corrigir é a perda da posse de bola: nesse quesito, o Paraná é o pior entre os 20 clubes, com 233 perdas ao todo. O time também é o que menos bloqueia ofensivas contra sua meta: apenas 12 vezes em cinco jogos. O melhor nesse quesito é o América-MG, com 35.

Com Grêmio e Atlético-PR pela frente, Micale se vê seguro no cargo. "O (gerente de futebol Rodrigo) Pastana, o presidente (Leonardo de Oliveira), sempre juntos, eles acompanham o meu trabalho. Eu vou continuar lutando, me esforçando ao máximo para que a gente possa sair dessa situação", declarou em entrevista coletiva.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos