Aguirre adota mesma tática utilizada com Diego Souza com Valdívia no SP

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

Diego Souza acabou o jogo com o Santos neste domingo, no Morumbi, como herói. O atacante foi o autor do gol da vitória por 1 a 0 e deixou o gramado aplaudido pela torcida. Tal desempenho contrasta com a situação de Valdívia. Por opção de Diego Aguirre, o meia atacante nem sequer foi relacionado para o  clássico. Por mais que pareça estranho, a explicação para a ausência do jogador pode ser explicada pelo sucesso do companheiro. Afinal, o treinador uruguaio utilizou com Valdívia a mesma tática adotada para recuperar o camisa 9.

Após a semifinal do Campeonato Paulista, quando Diego Souza teve uma apresentação abaixo do esperado contra o Corinthians, ele chegou a não ser também inscrito nem para o banco de reservas. No primeiro jogo da Sul-Americana, contra o Rosario Central, por exemplo, o atacante não viajou com os companheiros para a Argentina e ficou no CT da Barra Funda para treinar. Na época, o jogador chegou até a cogitar a possibilidade de se transferir para o Vasco. Porém, a negociação não foi adiante.  Com o passar do tempo, ele voltou a integrar o time e virou um dos principais nomes do time.

No caso de Valdívia a situação é parecida. Segundo o próprio Aguirre, a decisão de não relacioná-lo para o clássico deste domingo (20) não teve qualquer ligação com um problema externo - nesta semana familiares do meia atacante foram vítimas de um assalto no Mato Grosso. A ausência foi motivada, sim, pela queda de rendimento nas últimas partidas que ele disputou - contra Rosario Central e Bahia. 

Com essa estratégia, Aguirre pretende fazer com que os jogadores fiquem mais motivados para mostrar serviço - tanto nas partidas quanto nos treinamentos. O uruguaio também é adepto do rodízio de atletas. No comando do São Paulo desde março, ele dirigiu a equipe em 16 oportunidades - sete vitórias, seis empates e três derrotas -, mas nunca repetiu a escalação.

"Deixa eu esclarecer minha ideia. Primeiro, que eu não mudo o time toda hora. Existem jogadores que jogam todos os jogos, troco alguns. No treino, tenho oportunidade de ver os jogadores no dia a dia. Não é que troco qualquer um. Tem coisas que têm para justificar. Os procedimentos têm de servir para dar continuidade ao jogo. Tenho 30 peças e muitas opções. Tenho de ser justo com todos", explicou Aguirre.

Emprestado pelo Internacional até o fim desta temporada Valdívia chegou ao São Paulo no início deste ano. Em suas primeiras partidas, ainda com Dorival Júnior como técnico, ele era teve boas apresentações e era visto até como xodó da torcida. No total, ele disputou 17 partidas e marcou três gols.  

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos