Derby testará convicção de Paraná e Atlético-PR em seus treinadores

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Montagem sobre banco de imagens UOL e assessoria PRC

    Diniz e Micale: clubes garantem que resultado do Derby não alterará planos para ambos

    Diniz e Micale: clubes garantem que resultado do Derby não alterará planos para ambos

O 97º Derby da Rebouças colocará frente a frente duas equipes em situação ruim na tabela do Brasileirão: Paraná Clube e Atlético Paranaense – cujos estádios ficam na mesma rua, a Engenheiro Rebouças – chegarão para o duelo dentro da zona de rebaixamento. O Furacão não vence há 8 jogos, com cinco derrotas seguidas; o Tricolor ainda não venceu desde que reestreou na elite brasileira e cumpre sete jogos sem vitórias ao todo, incluindo o Estadual.

Entretanto, em nenhum dos dois clubes há o menor sinal de possibilidade de mudança no comando técnico. Tanto atleticanos quanto paranistas parecem bem convictos que nenhum resultado irá alterar a sequência de trabalho dos técnicos Fernando Diniz e Rogério Micale – pelo menos nas diretorias.

"Não vamos trocar, em hipótese alguma. Estou satisfeito, é um técnico com muito conhecimento sobre o jogo. Vamos tentar melhorar as condições pra ele, uma mudança de rota não seria boa para nós", disse o gerente de futebol do Paraná, Rodrigo Pastana, sobre a eventualidade de uma derrota no Derby. O discurso é similar ao que se ouve na outra ponta da Rebouças.

''Ele só sai por vontade própria, pode perder, pode até cair para a segunda divisão. O Fernando é o primeiro que encaixa certinho dentro do projeto'', declarou Mario Celso Petraglia, presidente do Conselho Deliberativo do Atlético, em entrevista recente. À exemplo do Paraná, o Atlético também tem considerado "melhorar as condições" para Diniz. Além da estabilidade, o clube puxou o lateral-direito Diego Ferreira para os profissionais e contratou o atacante Bill (ex-Água Santa-SP) e o zagueiro Eder (ex-Bahia).

Se os discursos serão levados à cabo, não importando o resultado, só mesmo depois de domingo. O passado indica que as convicções serão levadas à teste: entre 2017 e 2018, os dois clubes trocaram de técnico 10 vezes. O Paraná teve Wagner Lopes (duas vezes), Christian de Souza, Lisca, Matheus Costa e, agora, Rogério Micale. O Atlético começou o ano passado com Paulo Autuori, passou por Eduardo Baptista e Fabiano Soares, até chegar à Fernando Diniz – isso, sem contar Tiago Nunes, técnico do time de aspirantes que segue no clube e foi campeão estadual.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos