Micale apoia Diniz no Atlético-PR e pede "que não se recupere nesse jogo"

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • André Yanckous/AGIF

    Micale comentou o modelo de futebol de Diniz: "que não se recupere nesse jogo"

    Micale comentou o modelo de futebol de Diniz: "que não se recupere nesse jogo"

Rogério Micale foi mais um a sair em apoio a manutenção de Fernando Diniz, seu rival no Atlético Paranaense, apesar da pressão que ambos vivem nas vésperas do dérbi contra o seu Paraná Clube. Ambos vivem jejum de vitórias, estão na zona de rebaixamento e, publicamente, têm o apoio das duas diretorias. Diniz agora ganhou em Micale mais um apoiador e admirador.

Em entrevista coletiva, o técnico tricolor falou que é amigo do atleticano há algum tempo. À exemplo de Roger Machado, do Palmeiras, o primeiro a derrotar Diniz no Furacão, Micale ressaltou a coragem do colega em tentar algo novo no futebol brasileiro, chegando a comparar Diniz aos avanços do celular ao longo dos anos.

"Eu admiro pela coragem, por que o nosso futebol é muito resistente a mudanças, à posturas. O futebol é como qualquer outra situação em nossas vidas em que há uma evolução. O aparelho celular, há 20 anos, a gente usava o PT 550 da Motorola. Servia até como uma arma, de tão pesado que era. Ele só servia para falar. E você pagava a chamada que recebia e a que você fazia. Hoje temos um aparelho celular em que o que você faz menos é falar nele. Você está conectado ao mundo nele. Se tudo muda, se tudo avança, por que o futebol não vai acompanhar isso?", raciocinou Micale.

Para o paranista, não há muitos mistérios nas ideias do atleticano. Micale, entretanto, vê Diniz na contramão da maioria dos demais colegas – incluindo ele próprio. "O Diniz vem com esse novo formato de jogo e é tratado como um Professor Pardal, um inventor, o que quer que seja. Nada. Ele tá fazendo um futebol que é uma linha de três, um 3-4-3 na posse da bola, com movimentações, rotatividade do lado da bola tentando superioridade numérica no lugar em que a bola estiver. Então assim: para quem é do futebol, sabe que é um modelo interessante, até para contrapor o modelo que se usa atualmente, o 4-2-3-1, que é o disseminado. Todo sistema vem pra contrapor algo e não existe sistema perfeito: existe o sistema que funciona em detrimento a um outro."

Micale ainda citou Abel Braga como outro técnico que antagonizou com Diniz recentemente. Abel disse que pediu a seus atletas que entregassem a bola ao Atlético.

Por fim, um pedido: "Eu dou parabéns para o Diniz, só que um modelo de jogo em que é preciso dominar seu adversário requer tempo. É diferente do modelo reativo, que a maioria dos times no Brasil utilizam. Ele tá tentando fazer isso, ele vai ser pressionado, e eu espero que ele não se recupere nesse jogo. Que continue a pressão do lado de lá."

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos