Trio de ataque decide, São Paulo vence o Bota e assume a liderança

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo (SP)

O São Paulo é líder do Campeonato Brasileiro. Com a derrota do Atlético-MG para o Sport e a vitória do Tricolor por 3 a 2 sobre o Botafogo nesta quarta-feira, o time de Nenê e companhia garantiu a ponta por pelo menos por um dia. Para que a liderança seja confirmada, o Flamengo não pode vencer o Bahia nesta quinta-feira. 

Os tricolores, com o terceiro triunfo consecutivo no Brasileirão, têm 16 pontos e comemoram, mesmo que provisoriamente, a primeira liderança desde a sétima rodada da Série A de 2015. A série invicta do time de Diego Aguirre já tem 11 partidas e é a maior desde que Emerson Leão conduziu o clube por 14 jogos sem derrotas. Os alvinegros param com nove pontos.

A partida começou com um susto, já que João Pedro precisou sair de ambulância do estádio após ficar desacordado em dividida com Anderson Martins. A cena podia tirar um pouco do ímpeto dos jogadores, mas o que se viu foi um jogo eletrizante, com uma bola na trave e quatro gols antes do intervalo. Melhor para o Tricolor, que contou com grande atuação de seu trio ofensivo para vencer: Nenê, Diego Souza e Everton marcaram.. Leo Valencia e Rodrigo Pimpão, esse já no segundo tempo, anotaram para os cariocas.

A nona rodada será de clássicos para os adversários desta noite no Morumbi. O São Paulo tentará encerrar seu tabu de nunca ter vencido o Palmeiras desde a reinauguração do Allianz Parque, às 21h de sábado. No mesmo dia, mas às 19h, o Botafogo visita o Vasco da Gama em São Januário.

Marcello Zambrana/AGIF

Os melhores

Everton tem apenas sete jogos pelo São Paulo, juramos para você. O meia-atacante encaixou rapidamente no esquema de Diego Aguirre, se entrosou com Diego Souza e Nenê e já soma três assistências e dois gols pelo Tricolor. Nesta quarta, ele sofreu o pênalti do primeiro e marcou o terceiro dos paulistas. Diego e Nenê, os outros artilheiros da noite, também entram na lista de destaques.

Os piores

A atuação de Joel Carli foi, disparada, a pior no Morumbi. O zagueiro argentino se atrapalhou na saída de bola algumas vezes, levou baile de Diego Souza nas tentativas de pivô e ainda falhou no gol marcado pelo centroavante são-paulino. Valdivia, que entrou no lugar de Everton no fim, foi o pior do Tricolor.

Susto e ambulância em campo com dois minutos

Com menos de dois minutos, a partida precisou ser paralisada para um atendimento de emergência. Anderson Martins dividiu com João Pedro e o meia do Botafogo caiu desacordado. Os médicos dos dois times prestaram os primeiros socorros e uma ambulância levou o jogador para o hospital para a realização de exames. 

Marcello Zambrana/AGIF
João Pedro, do Botafogo, saiu de ambulância do Morumbi

Jogo recomeça com trave balançando

Quando a bola voltou a rolar, Nenê mostrou que mais uma vez seria protagonista. Puxou ataque pelo meio, tabelou com Edimar e soltou pancada de dentro da área. A bola explodiu no travessão de Jefferson e levantou a torcida são-paulina. Até que...

Golaço de chileno faz a festa botafoguense

O Botafogo trocava passes sem pressa pela meia direita. Leo Valencia foi acionado mais ao centro, enquanto era marcado de longe por Jucilei. O volante tricolor demorou a reagir e deixou o meia chilena sozinho, com espaço suficiente para arriscar de longe, aos 15 minutos. O chute de esquerda foi parar no ângulo de Sidão, que nada pôde fazer.

Nenê mantém a fase artilheira em pênalti polêmico

Nos últimos anos, a torcida do São Paulo se acostumou a ver times frágeis psicologicamente, que desanimavam ao menor sinal de crescimento do adversário. Com Diego Aguirre, isso parece ter mudado. Tanto é que após quatro minutos do gol carioca, o placar já estava empatado. Everton caiu depois de disputar bola com Igor Rabello e o árbitro Wilton Pereira Sampaio marcou pênalti duvidoso. Nenê cobrou sem muito capricho, mas Jefferson não conseguiu espalmar com força. 

Achou que não ia ter gol de Diego Souza?

O gol de pênalti deixava Nenê empatado com Diego Souza na artilharia são-paulina na temporada. Eram sete tentos para cada um. Mas, dez minutos mais tarde, o centroavante resolveu deixar o colega para trás. Marcos Guilherme cruzou da direita e o camisa 9 se atirou de peito para aproveitar a falha de Joel Carli.

Acréscimos fatais do São Paulo

No último domingo, o São Paulo empatava com o América-MG por 1 a 1 quando Nenê converteu pênalti já nos acréscimos do primeiro tempo. Nesta quarta-feira, mais uma vez o Tricolor se mostrou ligado até o fim e se aproveitou do relaxamento do rival. Jucilei roubou a bola no meio de campo, Diego Souza arrancou e acionou Everton, que marcou seu segundo gol em sete jogos pelo clube paulista.

Toma lá, dá cá

Já na volta do intervalo, o Botafogo tentava se lançar ao ataque e conseguiu falta na linha de fundo. No cruzamento, a bola encontrou Marcus Vinicius, que testou firme e acertou o travessão de Sidão. Pouco depois, Nenê novamente parou no travessão, agora cobrando falta sofrida por Diego Souza. Jefferson chegou a tocar na bola ainda.

Calma, pessoal!

Diego Souza recebeu em condição irregular na área do Botafogo e prendeu a bola para evitar a cobrança rápida dos cariocas. Joel Carli não gostou e chegou empurrando o são-paulino, que passou a apontar o dedo e fazer ameaças ao argentino.

Descanso e ovação a Nenê

Com 17 minutos do segundo tempo, Diego Aguirre decidiu seguir com o planejamento de preservar o time para o clássico contra o Palmeiras, marcado para sábado. Nenê foi sacado para dar lugar ao garoto Shaylon e saiu ovacionado: "olê, olê, olê, olê, Nenê, Nenê". Shaylon tentou manter o nível do titular e em escanteio pela esquerda encontrou Arboleda, que exigiu linda defesa de Jefferson.

Marcello Zambrana/AGIF

Problema para Alberto Valentim

Matheus Fernandes cometeu falta em Liziero, para frear contra-ataque, e recebeu o terceiro cartão amarelo. Assim, será desfalque para o técnico Alberto Valentim no clássico de sábado contra o Vasco.

Chileno age de novo e técnico mostra estrela

Valentim havia acabado de colocar Rodrigo Pimpão em campo, na vaga de Rodrigo Lindoso. A substituição ousada teve resultado imediato e, aos 37 minutos da etapa final, o atacante subiu após cruzamento de Leo Valencia e descontou para os alvinegros. O jogo ganhou em emoção!

Virou rotina?

O São Paulo não fazia três gols em um só tempo desde março do ano passado, quando venceu o PSTC por 4 a 2 pela Copa do Brasil. Foi também o segundo jogo seguido com três gols marcados, algo que já havia acontecido neste ano, mas só com o interino André Jardine. Antes deles, o último a conseguir essa série foi Rogério Ceni, em 2017.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO 3X2 BOTAFOGO

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 30 de maio de 2018, às 21h
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva e Bruno Raphael Pires
Público/Renda: 25.427 presentes/R$ 547.988,00
Cartões amarelos: Nenê e Shaylon (SAO); Marcus Vinicius, Carli e Matheus Fernandes (BOT)

GOLS: Nenê, aos 19, e Diego Souza, aos 29, e Everton, aos 49 minutos do primeiro tempo (SAO); Leo Valencia, aos 15 minutos do primeiro tempo, e Rodrigo Pimpão, aos 37 minutos do segundo tempo (BOT)

SÃO PAULO: Sidão, Régis, Arboleda, Anderson Martins e Edimar; Jucilei, Petros, Marcos Guilherme e Everton (Valdivia); Nenê (Shaylon) e Diego Souza (Liziero). Técnico: Diego Aguirre.

BOTAFOGO: Jefferson; Marcinho, Carli, Igor Rabello e Moisés; Rodrigo Lindoso (Rodrigo Pimpão), Matheus Fernandes e Leo Valencia; João Pedro (Marcus Vinicius), Luiz Fernando (Aguirre) e Kieza. Técnico: Alberto Valentim.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos