Atacante na mira do Atlético-MG é monitorado por Gallo há quatro anos

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

Uma reunião nesta quinta-feira deve selar ou pelo menos deixar o atacante Denílson muito próximo de reforçar o Atlético-MG na sequência do Campeonato Brasileiro. Com seis jogos pelo Vitória na competição, o jogador sequer ficou no banco de reservas contra o Internacional, nesta quarta-feira, para não estourar o limite de partidas e ainda poder jogar por outra equipe na Série A. Denílson é um jogador observado por Alexandre Gallo há quatro anos.

O diretor de futebol do Atlético foi treinador e coordenador das seleções de base entre 2013 e 2015, período em que comandou times sub-17 e sub-20. "Talvez eu seja a pessoa com o melhor know-how em conhecimento de jogadores entre 17 e 23 anos. Fizemos um levantamento e este conhecimento é muito rico e dá possibilidade de você acompanhar muitos jogos, conversar com treinadores e presidentes de clubes. Sempre busquei entender o que estava acontecendo no trabalho de base e no sistema olímpico deles para aperfeiçoar o que a gente estava fazendo no Brasil", disse Alexandre Gallo, em entrevista ao Jornal Hoje em Dia, em agosto de 2015, três meses após ser demitido pela CBF.

Embora nunca tenha convocado Denílson para a seleção brasileira, foi nesse período que Alexandre Gallo começou a monitorar Denílson, então na base do Fluminense. O centroavante logo se destacou e janeiro de 2015 foi negociado pelo time carioca com o Granada, da Espanha. Inclusive, é o clube europeu que detém os direitos do atleta. Mas na Espanha, Denílson jamais atuou na equipe principal, sempre pela equipe B do Granada.

Antes de chegar ao Vitória, em janeiro, Denílson passou por Neftchi Baku, do Azerbaijão, Avaí e São Paulo. Pela equipe baiana foram 27 jogos e 11 gols anotados, o último deles no empate em 1 a 1 com o Botafogo, pela 7ª rodada do Campeonato Brasileiro. Denílson foi titular na derrota do Vitória para o Atlético, por 2 a 1, no Independência, pela 2ª rodada do Brasileirão.

Denílson tem apenas 22 anos, completa 23 em julho, e se encaixa na política de reforços do Atlético. Desde que o presidente Sérgio Sette Câmara foi eleito, em dezembro do ano passado, e escolheu a Alexandre Gallo para ocupar o cargo de diretor de futebol, o trabalho é para reduzir a média de idade do elenco atleticano, que era considerada alta em 2017.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos