Atlético-MG vence América-MG, afasta pressão e sobe seis posições na tabela

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

A semana do Atlético-MG começou com reunião do presidente Sérgio Sette Câmara com alguns membros de torcida organizada. O time entrou para o clássico com o América-MG, pelo Campeonato Brasileiro, pressionado e com dois gols no primeiro tempo voltou a vencer, após três rodadas. O triunfo por 3 a 1, no Independência, dá um pouco de paz ao Galo, que vai jogar mais duas vezes em Belo Horizonte antes da parada para a Copa do Mundo.

Condição muito boa para o time alvinegro se aproximar dos líderes. Ao vencer o Clássico o Atlético subiu da 10ª para a 4ª colocação no Brasileiro. Com jogos em casa diante de Fluminense e Ceará, o Galo segue com a meta de chegar entre os três primeiros colocados até o Mundial.

Quem foi bem: Ricardo Oliveira

Pela terceira rodada consecutiva Ricardo Oliveira deixou sua marca. Já são cinco no Campeonato Brasileiro, apenas um a menos do que Róger Guedes e Willian, que marcaram seis vezes cada um. Além do gol, que abriu caminho para o triunfo atleticano, o centroavante foi bastante participativo, especialmente na primeira etapa, quando o Atlético chegou mais vezes.

Quem foi mal: Jori

O América já não fazia um bom primeiro tempo, com muita dificuldade para chegar na área do Atlético. Apesar de o Galo não criar tantas chances claras, foi em um contra-ataque que o time alvinegro chegou ao segundo gol, com Cazares. O camisa 10 chutou praticamente sem ângulo e contou com a colaboração do goleiro do América. Jori foi surpreendido com o chute e não conseguiu fazer a defesa, o que complicou bastante o clássico para o time alviverde.

Atlético muda a defesa, mas sofre o 14º gol

Foram três mudanças em relação aos dois jogos anteriores, contra Sport e Chapecoense, quando sofreu seis gols, três em cada confronto. Mesmo com uma formação nova, entraram Patric, Leonardo Silva e Juninho, a defesa do Atlético não conseguiu terminar a partida sem ser vazada. O gol anotado por Messias foi o 14º sofrido pelo Galo no Brasileirão. Somente contra Corinthians e Cruzeiro que o Atlético não sofreu gols.

Defensores e Jori dão susto na torcida

Um lance que parecia controlado pela defesa do América acabou se tornando numa grande trapalhada e quase resultou em um frango do goleiro Jori. Dois defensores se embolaram na entrada da área e a bola chutada foi em direção ao gol e Jori não conseguiu fazer a defesa. Por sorte o jovem goleiro americano estava um pouco adiantado e conseguiu se recuperar.

Juninho estreia como lateral esquerdo

Com Fábio Santos suspenso, o zagueiro Juninho fez seu primeiro jogo pelo Atlético. E a estreia aconteceu como lateral esquerdo. Apesar de improvisado, o jogador emprestado pelo Palmeiras teve boa atuação. Até pelas características, Juninho ficou mais como um terceiro zagueiro, subindo eventualmente. Assim, o lateral direito Patric teve muita liberdade para apoiar o ataque.

Lucas Pratto na torcida pelo Atlético

Estrangeiro com mais gols na história do Galo, o atacante Lucas Pratto aproveitou as férias no futebol argentino para acompanhar o clube que defendeu entre 2015 e 2017. O jogador do River Plate foi muito bem recebido pelos atleticanos, inclusive em um restaurante perto do Estádio Independência. Pratto atuou 107 vezes pelo Atlético e marcou 42 gols.

Segundo tempo começa com expulsão de Larghi

A segunda parte do clássico mineiro começou e o Atlético estava com dois jogadores a menos dentro de campo. Os atacantes Róger Guedes e Ricardo Oliveira demoraram um pouco mais para retornarem ao gramado. Mesmo assim o árbitro Bráulio da Silva Machado recomeçou a partida, o que irritou bastante o técnico Thiago Larghi. Após a reclamação, o treinador atleticano foi expulso. O treinador foi para as cadeiras, atrás do banco de reservas, para acompanhar o restante do clássico.

Partida muda de rumo em três minutos

Cazares foi a principal alternativa do Atlético para puxar os contra-ataques no primeiro tempo. Porém, um mal-estar tirou o camisa 10 do clássico, logo aos três minutos. E pouco tempo depois o América diminuiu o placar, com Messias. Tudo isso em apenas seis minutos, o que mudou o rumo do clássico mineiro. O Atlético ficou ainda mais na defesa, enquanto o América se lançou para o ataque.

América faz bem ao atleticano Tomás Andrade

Foi contra o América que Tomás Andrade estreou pelo Atlético. E a primeira apresentação foi com duas assistências, no triunfo por 3 a 0, ainda pela primeira fase do Campeonato Mineiro. Nesta quinta-feira o argentino entrou mais uma vez num clássico com o América e marcou seu primeiro gol como profissional em uma partida de competição. Até então ele tinha apenas um na carreira, em amistoso disputado pelo River Plate, nos Estados Unidos.

FICHA TÉCNICA
AMÉRICA-MG 1 X 3 ATLÉTICO-MG

Data: 07 de junho de 2018, quinta-feira
Horário: 21h (de Brasília)
Motivo: 10ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Bráulio da Silva Machado (SC)
Auxiliares: Kleber Lucio Gil (FIFA/SC) e Neuza Ines Back (FIFA/SC)
Cartões amarelos: Norberto e Serginho (AFC) Leonardo Silva e Elias (CAM)
Gols: Ricardo Oliveira aos 11 e Cazares aos 39 minutos do primeiro tempo; Messias aos 6 e Tomas Andrade aos 43 minutos do segundo tempo

AMÉRICA-MG: Jori, Norberto, Messias, Matheus Ferraz e Giovanni; Leandro Donizete (Ruy, aos 41 do 2º), Christian, Luan (Marquinho, aos 37 do 2º) e Serginho; Judivan (Ademir, no intervalo) e Aylon.
Técnico: Enderson Moreira.

ATLÉTICO-MG: Victor, Patric, Leonardo Silva, Gabriel e Juninho (Bremer, aos 41 do 2º); Adilson, Gustavo Blanco, Luan (Tomas Andrade, aos 31 do 2º) e Cazares (Elias, aos 3 do 2º); Róger Guedes e Ricardo Oliveira.
Técnico: Thiago Larghi (interino).

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos