Inter fica ofensivo, mas mantém solidez e vai para recesso em melhor fase

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

O Inter encerrou a primeira parte do Brasileiro vivendo sua melhor fase. Na quarta-feira (13) venceu o Vasco por 3 a 1 em casa mostrando uma 'nova cara'. Mais ofensivo, atingiu o equilíbrio técnico, não ficou vulnerável e ampliou as opções para o comando técnico durante o recesso.

Até então o formato utilizado pelo Colorado apontava um tripé no meio-campo formado por Rodrigo Dourado, Patrick e Edenílson. Mas na ausência do último, Odair não fez o convencional. Poderia optar por Gabriel Dias e defender seu centro, com Camilo ficaria um pouco mais ofensivo mas manteria o desenho, só que rejeitou tudo isso. Foi Nico López que começou a partida, montando um 4-2-3-1 que povoou o campo de ataque e recebeu elogios depois da partida.

Em tese, o time ficaria vulnerável. Dourado deixou o centro do setor de marcação e dividiu atribuições com Patrick. O quarteto defensivo estaria aberto aos ataques vascaínos. Mas não aconteceu. A postura inclinada ao campo rival contou com a compactação necessária graças ao esforço coletivo e a maturidade atingida pelo time.

"No início das nossas conversas, nos primeiros treinos do ano, eu era questionado sobre o Pottker ser 'marcador de lateral'. E sabe por que o setor defensivo funciona bem? Porque o time está marcando, na fase defensiva, com um conceito que pressiona rápido e não retomando a bola, todos recompõe com velocidade. E isso dá certo porque todos estão comprometidos. O futebol é coletivo, eu acredito na coletividade, nessa organização. Pottker, Damião, Lucca, todos estão cumprindo e isso fortalece a individualidade. O time compactado, próximo, sem espaço entre as linhas, faz crescer o individual. As coisa foram acontecendo e parabéns a todos", disse Odair.

E foi assim. O Vasco criou apenas em lances de bola parada. O gol, por exemplo, contou com falha de Marcelo Lomba e surgiu em uma rebatida de escanteio. Não houve pressão ou mesmo oportundiades de sobra dos visitantes.

"Eu falei na preleção hoje, a fase defensiva começa na primeira linha e o ataque começa num bom passe do zagueiro. Isso é nossa ideia de jogo e estamos conseguindo implantar. Oscilamos, é claro, mas dentro de um processo de formação de time, estamos muito bem", disse.

Exemplo de que o ataque começa no bom passe do zagueiro, repetindo frase de Odair, houve no primeiro gol do Inter no jogo. Cuesta poderia ter feito o mais simples e tocado para Patrick, mas encontrou Lucca mais na frente, Patrick fez a ultrapassagem, pegou em velocidade, driblou dois marcadores e encontrou Nico López, que chutou cruzado e abriu o placar.

O bom rendimento no novo formato pode resultar em mudança no Inter. Ainda mais com D'Alessandro, Zeca e Juan Alano como novas opções durante o recesso.

Agora, o recesso para a realização da Copa do Mundo testará a boa fase do Inter. O plano dos gaúchos é forçar a manutenção do momento positivo com oito jogos sem derrota. A volta ocorrerá no dia 19 diante do Atlético-PR.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos