Bruno Henrique decide e Palmeiras bate o Galo no sufoco por 3 a 2

Do UOL, em São Paulo (SP)

Uma atuação de gala de Bruno Henrique fez o Palmeiras superar a desconfiança da torcida e vencer o Atlético-MG por 3 a 2 na tarde deste domingo. O volante e capitão do time paulista marcou golaço de falta e, nos acréscimos, desempatou o confronto com cabeçada letal. O resultado fez o Verdão chegar a 23 pontos e empatar em pontos com o próprio Galo na tabela do Campeonato Brasileiro - os atleticanos ficam na frente, em terceiro, pelo número de vitórias: 7 a 6.

O duelo começou com falha grotesca do zagueiro Juninho, emprestado pelos paulistas aos mineiros. O beque furou tentativa de chutão e deixou Moisés livre para abrir o placar. Os visitantes buscaram o empate duas vezes, com Luan e Chará, em outro golaço da tarde, mas o protagonismo foi mesmo de Bruno Henrique.

Na 15ª rodada da Série A, as duas equipes jogam na quarta-feira. O Palmeiras entra em campo primeiro, às 19h30, para visitar o Fluminense no Maracanã. Já os atleticanos recebem o Paraná Clube às 21h, no Independência.

Os melhores

A vitória do Palmeiras foi decidida pelo meio de campo. Ainda que Moisés e Bruno Henrique tenham ficado isolados em alguns momentos do confronto com o Galo, eles conseguiram marcar os gols que aliviaram a torcida e foram muito eficientes em seus duelos individuais. O golaço de falta serve como desempate para que Bruno seja apontado como o melhor em campo. Pelo Atlético, Luan foi a principal figura, com menção honrosa a Elias e Chará.

Os piores

A falha grotesca no segundo minuto de jogo faz com que Juninho seja o grande personagem negativo da partida. Mas ainda que seus vacilos tenham se repetido em outros lances, ele não esteve sozinho entre as piores atuações. No lado do Palmeiras, Diogo Barbosa teve as costas exploradas o tempo todo por Luan e Elias. E Gustavo Scarpa praticamente não participou do jogo. Quando o fez, errou.

Jogo começa elétrico. Melhor para o Palmeiras!

Os primeiros cinco minutos no Allianz Parque foram frenéticos. O Galo deu susto na saída de bola no primeiro minuto, mas se livrou. No segundo, a trapalhada bizarra de Juninho deixou Moisés sozinho para abrir o placar. E o meia esteve muito perto de ampliar a vantagem palmeirense. Só que o chute de primeira em rebote de escanteio parou no travessão de Victor. Era o anúncio de um grande jogo. Era.

Galo busca controle, mas erros dominam a partida

O gol e a pressão inicial do Palmeiras abalaram os mineiros. Mas, aos poucos, a equipe de Thiaog Larghi conseguiu retomar a calma e colocar a bola no chão. Os três meio-campistas recebiam a ajuda de Luan para organizar os lances ofensivos e os paulistas já não tinham espaço para contra-atacar. O problema é que o Galo errou muitos passes e o nível da partida foi piorando até o intervalo.

Weverton é mantido no gol e vacila no segundo tempo

Após o fim da suspensão de Jailson, esperava-se que Roger Machado o recolocasse como titular da meta palmeirense. Mas o técnico surpreendeu ao manter Weverton na equipe. E o goleiro foi bem no primeiro tempo, mostrando reações rápidas e boa colocação. Ele apareceu para salvar voleio de Fábio Santos e um recuo fraco de Moisés que quase deixou Luan livre para empatar. Só que na segunda etapa tudo mudou. O arqueiro espalmou mal uma cabeçada de Matheus Galdezani e Luan, de novo espero para pegar a sobra, deixou tudo igual aos seis minutos.

Árbitro vê exageros em comemorações, dá amarelos e causa revolta

O árbitro Péricles Bassols não aprovou as comemorações de gols neste domingo. Quando Moisés abriu o placar e pegou câmera do fotógrafo do Palmeiras para imitar um cajado e brincar com o apelido de "profeta", o juiz resolveu puni-lo com cartão amarelo. Na saída para o intervalo, o meia se revoltou, falou em "vergonha" e questionou se era uma perseguição ao Verdão. Bassols mostrou que não era pessoal e também amarelou Luan quando o Galo empatou, considerando a dança na comemoração como uma forma de provocar a torcida paulista. O meia-atacante ficou suspenso para o próximo jogo do Atlético, contra o Paraná Clube.

Bruno Henrique acalma torcida com golaço, mas efeito dura pouco

A torcida do Palmeiras começou a se irritar com mais um jogo em que o time saía na frente e permitia a reação do adversário. Cada erro se transformava em reclamação das arquibancadas, tomadas por tensão. Até que Bruno Henrique cobrou falta com perfeição pelo lado direito do ataque. O golaço fez o Allianz Parque se acalmar e inflamou os jogadores. Mas essa euforia que começou aos 30 minutos do segundo tempo foi breve.

Colombiano devolve golaço no ângulo para empatar

Depois de cinco minutos da falta magistral de Bruno Henrique, o Galo se mandou para o ataque. Elias, que fez ótima partida, saiu da direita para entrar na área e fazer o papel de pivô. A bola foi ajeitada para trás e o colombiano Chará chegou batendo de primeira, de canhota, para mandar no ângulo de Weverton. Mais um golaço!

Herói da tarde, Bruno Henrique explode com gol nos acréscimos

Já aos 47 minutos da etapa final, os atleticanos reclamavam de falta marcada por Péricles Bassols quando a bola foi alçada à area e Deyverson subiu para desviar. Bruno Henrique, que já havia vibrado muito com o gol de falta, apareceu sozinho para completar para as redes com raiva e levar o alívio definitivo ao Allianz Parque. O tento encerrou jejum de três partidas sem vitórias do Palmeiras no Brasileirão.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS 3X2 ATLÉTICO-MG

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 22 de julho de 2018, às 16h
Árbitro: Péricles Bassols Cortez (PE)
Assistentes: Clóvis Amaral da Silva e Cleberson do Nascimento Leite (ambos do PE)
Cartões amarelos: Moisés e Edu Dracena (PAL); Luan e David Terans (CAM)

GOLS: Moisés, aos 2 minutos do primeiro tempo, e Bruno Henrique, aos 30 e aos 47 minutos do segundo tempo (PAL); Luan, aos 6, e Chará, aos 35 minutos do segundo tempo (CAM)

PALMEIRAS: Weverton. Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo (Deyverson), Bruno Henrique e Moisés; Gustavo Scarpa (Hyoran), Dudu (Jean) e Willian. Técnico: Roger Machado.

ATLÉTICO-MG: Victor, Patric, Gabriel, Juninho e Fábio Santos; Zé Welison, Galdezani (Lucas Cândido) e Elias (Tomás Andrade); Luan (David Terans), Chará e Ricardo Oliveira. Técnico: Thiago Larghi.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos