Atlético-PR bate Bahia, vence 6ª seguida na Arena e vê degola mais longe

Do UOL, em São Paulo

O Atlético-PR bateu o Bahia por 2 a 0 neste domingo (2), na Arena da Baixada, e manteve a ascensão na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. Pablo abriu o placar e o estreante Rony completou, ambos na etapa final.

Este foi o sexto triunfo seguido em casa dos rubro-negros, levando-se em conta todas as competições (antes, superaram Peñarol, Vitória, Flamengo, Grêmio e Vasco). Sem perder há nove jogos, o time paranaense já aparece em nono lugar no torneio nacional, com 27 pontos, enquanto os baianos permanecem com 25, em 14º.

As duas equipes já voltam em campo na próxima quarta-feira. O Bahia faz confronto direto contra o Sport na Fonte Nova. Já o Atlético visita o Palmeiras na capital paulista.

O melhor: Pablo tem atuação decisiva

O atacante brilhou novamente, ao marcar o primeiro gol e dar assistência para o segundo. Menção honrosa para Douglas, que só atuou no primeiro tempo e se lesionou, mas fechou o gol do Bahia. 

O pior: Falhas de Lucas Fonseca custam caro

O zagueiro levou um drible desconcertante de Pablo no lance que inaugurou o marcador na capital paranaense. Nos acréscimos do segundo tempo, teve a chance de empatar, mas cabeceou para fora. 

Mudanças dos dois lados

O técnico Tiago Nunes decidiu dar descanso a Lucho González e escalou Bruno Guimarães como titular no meio-campo. Do lado do Bahia, Enderson Moreira teve que lidar com duas baixas de última hora: Zé Rafael, destaque tricolor da temporada, sentiu dores na lombar e foi vetado. Já Regis foi afastado porque pediu para ser negociado com o Al-Wehda, da Arábia Saudita. 

Pressão rubro-negra

O primeiro tempo foi praticamente de um time só. Com muito mais posse de bola e espaço nas duas laterais, o Atlético-PR criou ao menos seis boas chances de gol. Douglas se destacou, defendendo chute à queima-roupa de Pablo, uma cobrança de falta violenta de Zé Ivaldo e uma cabeçada certeira de Marcinho, dentre outras intervenções. Quando não deu para ele, Lucas Fonseca chegou a tirar uma finalização quase em cima da linha.

Que beleza!

Além de criar boas chances, o lateral Renan Lodi levantou a torcida atleticana ao aplicar um lindo chapéu em Gilberto aos 23 minutos do primeiro tempo (veja no vídeo acima). 

Resposta só nos acréscimos

Se o Bahia tinha Douglas, o Atlético-PR contava com Santos. O goleiro fez grande defesa na melhor chegada dos visitantes na etapa inicial, em chute de Elber. Gilberto ainda pegou a sobra e girou antes de bater para fora. 

Novidades em campo

O time baiano voltou para a etapa final com duas alterações forçadas. Douglas, destaque individual da primeira etapa, sentiu dores no joelho. Fernando assumiu a meta. Já o lateral Bruno saiu para a entrada de Nino Paraíba. Já aos 16, Tiago Nunes promoveu a estreia do atacante Rony, que substituiu Marcinho. O Atlético-PR manteve o domínio, mas em ritmo interior à primeira etapa. Na melhor chance, Renan Lodi, na pequena área, desviou cruzamento para fora.

Festa na Arena

A agonia rubro-negra durou até os 22 minutos, quando Pablo deu belo drible em Lucas Fonseca e chutou com força para abrir o placar. Dez minutos depois, o atacante cruzou rasteiro e Rony coroou literalmente uma estreia com o pé direito, chutando forte para vencer Fernando. Sem forças para reagir, o máximo que o Bahia conseguiu foi ameaçar em chute de Elber que Santos defendeu e em cabeçada de Lucas Fonseca para fora.

Bahia inofensivo

A atuação dos visitantes deixou muito a desejar, principalmente por se tratar de um confronto direto. Os donos da casa chegaram a ter 70% de posse de bola e desperdiçaram chance atrás de chance na etapa inicial antes de construir a vantagem na complementar. Quando o time tricolor tentou reagir, já foi tarde demais. "Ficamos muito sem a bola e cansamos por correr atrás. É difícil até de falar, não foi um bom jogo", resumiu o lateral Léo na saída do gramado, ao canal "Premiere".

Fim da agonia

Quem também falou na saída de campo foi Rony, que enfim voltou a jogar depois de um longo período de inatividade em virtude de uma disputa jurídica com seu ex-clube, o japonês Albirex Niigata. "Não foi fácil ficar oito meses parado sem jogar. Agradeço à diretoria, comissão e dedico este gol também a toda minha família. Estamos numa crescente muito boa e vamos dar sequência para dar alegrias para esta torcida maravilhosa", disse ele ao canal "Premiere". 

Ficha técnica

Atlético-PR 2 x 0 Bahia

Data: 02/09/2018
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (Paraná)
Hora: 16h (de Brasília)
Cartões amarelos: Raphael Veiga, Jonathan (Atlético-PR). Elton, Elber (Bahia)
Cartões vermelhos: Nenhum

Gols: Pablo, aos 22, e Rony, aos 32 minutos do segundo tempo. 

Atlético-PR: Santos, Jonathan, Zé Ivaldo, Leo Pereira e Renan Lodi; Wellington e Bruno Guimarães; Marcinho (Rony), Raphael Veiga (Bruno Nazário) e Nikão; Pablo (Bergson). Técnico: Tiago Nunes

Bahia: Douglas (Fernando), Bruno (Nino Paraíba), Tiago, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Elton, Vinicius e Elber; Edigar Junio (Clayton) e Gilberto. Técnico: Enderson Moreira

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos