Diego Souza decide, São Paulo vence o Bahia e volta à ponta até o Gre-Nal

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

O São Paulo sofreu, mas conseguiu fazer a lição de casa para reassumir, ao menos provisoriamente, a liderança do Campeonato Brasileiro. Neste sábado (8), a equipe comandada por Diego Aguirre venceu o Bahia por 1 a 0 no Morumbi e vai dormir na ponta da tabela. Para se manter à frente na classificação ao fim da rodada, o São Paulo torce por um tropeço do Internacional, que enfrenta o Grêmio neste domingo.

O gol da vitória são-paulina não poderia ser mais emblemático. ?Vilão? após ter sido expulso no empate por 1 a 1 com o Fluminense no fim de semana passado, Diego Souza, com cabeça enfaixada por ter sofrido um corte, aproveitou cruzamento de Nenê para garantir o triunfo depois de dois tropeços consecutivos.

Com o resultado, o São Paulo chega a 49 pontos ? três acima que o Colorado. Já o Bahia estaciona nos 28 pontos e não consegue se distanciar da zona de rebaixamento. Agora, o Tricolor paulista terá uma semana de descanso antes do clássico contra o Santos, no próximo domingo (16), na Vila Belmiro. No mesmo dia, os baianos recebem o Palmeiras na Arena Fonte Nova.

Os melhores: Diego Souza e Zé Rafael

O atacante são-paulino mostrou a importância que tem para o elenco. Os principais lances de perigo dos donos de casa saíram dos pés do camisa 9. De quebra, ele marcou o seu, ao aproveitar o cruzamento de Nenê. Já pelo lado do Bahia, Zé Rafael teve mais uma atuação consistente neste Brasileiro. Criou muito e arriscou algumas finalizações.

O pior: Everton Felipe

Contratado há um mês, o meia-atacante ainda não conseguiu empolgar. Neste sábado, ele ganhou a oportunidade de atuar no lugar de Everton, que se recupera de lesão. No entanto, o jogador teve dificuldade para dar sequência aos lances de ataque, e acabou sendo substituído no início do segundo tempo. Para completar, logo depois de ele deixar o campo, o São Paulo fez o gol.

São Paulo faz primeiro tempo nervoso

Além da forte marcação do Bahia, o São Paulo esbarrou no próprio nervosismo ao longo da primeira etapa. Sem conseguir trabalhar as jogadas em velocidade, a equipe de Diego Aguirre apostou nas bolas alçadas dentro da área para tentar chegar ao gol adversário. A melhor chance saiu dos pés de Diego Souza, aos 36 minutos. O centroavante recebeu cruzamento de Rojas, dominou no meio da marcação e bateu com perigo por cima do gol. Apesar da insistência, o time da casa não conseguiu impor o ritmo necessário para inaugurar o placar e, em alguns momentos de desorganização, acabou cedendo espaços para o contra-ataque do adversário.

Reclamação da arbitragem e gol impedido

Os jogadores do São Paulo, mais uma vez, ficaram irritados com a arbitragem. Assim como aconteceu na derrota para o Atlético-MG, os tricolores questionaram o desempenho do juiz. Em um lance, por exemplo, uma suposta infração de Lucas Fonseca, que teria colocado a mão na bola, e André Luiz de Freitas Castro nada anotou. No contragolpe, Régis recebeu o amarelo por uma falta. Mais tarde, os baianos viram um gol de Gilberto, em posição de impedimento, ser anulado.

Camisa 9 marca e tranquiliza a torcida

O São Paulo conseguiu o necessário para acalmar os ânimos logo no começo do segundo tempo. Com o gol de Diego Souza aos 14 minutos, a equipe tirou um peso das costas e passou a atuar de forma muito mais tranquila no Morumbi. Para abrir o placar, o Tricolor contou com a habilidade de Nenê, que deu passe preciso para encontrar o companheiro dentro da área, e oportunismo do camisa 9 ao completar de primeira para o fundo da rede.

Com a vantagem no placar, o São Paulo se organizou melhor taticamente e dificultou as ações do Bahia, que não mostrava poder de reação.

Mudança

Considerado um dos principais jogadores do elenco paulista, Everton ainda está em processo de recuperação de estiramento no músculo posterior da coxa esquerda - existe a possibilidade de ele ser liberado para atuar no clássico com o Santos, na próxima semana. Já o lateral-esquerdo Reinaldo precisou cumprir suspensão automática por receber o terceiro cartão amarelo. Por isso, Everton Felipe ganhou uma oportunidade no sistema ofensivo do Tricolor.

Pressionado e apoiado

Questionado após falhas nos últimos jogos, Sidão foi o único jogador do São Paulo alvo de vaias da torcida quando a escalação fora anunciada no Morumbi. Porém, pouco antes da hora da execução do hino nacional, o goleiro teve o seu nome gritado por outra parte da arquibancada. No geral, o treinador Diego Aguirre acabou sendo quem mais recebeu os aplausos do público.

Dor de cabeça

Aguirre pode ter problemas no clássico com o Santos. O lateral-direito Régis estava pendurado, recebeu o terceiro cartão amarelo e vai ter de cumprir suspensão automática na próxima rodada do Brasileiro. O titular do setor, Bruno Peres, ainda não foi liberado pelo departamento médico para treinar por causa de estiramento no músculo adutor direito. Outro jogador utilizado na posição, Araruna, também está lesionado.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 X 0 BAHIA

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 08/09/2018
Horário: 19h (horário de Brasília)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (GO) e Bruno Raphael Pires (GO)
Público e renda: 43.555 e R$ 1.282.305,00
Cartões amarelos: Régis (SAO), Joao Rojas (SAO), Bruno Alves (SAO); Clayton (BAH), Vinicius (BAH)
Gols: Diego Souza, aos 14 minutos do segundo tempo
SÃO PAULO: Sidão; Régis (Liziero), Bruno Alves, Anderson Martins e Edimar; Jucilei, Hudson, João Rojas, Nenê e Everton Felipe (Tréllez); Diego Souza. Técnico: Diego Aguirre
BAHIA: Douglas; Nino Paraíba, Everson, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Elton (Élber), Flávio, Vinícius (Edigar Junio) e Zé Rafael; Gilberto (Clayton). Técnico: Enderson Moreira

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos