Pivô de polêmicas em São Paulo e Atlético-MG, Maidana renasce em BH

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG

    Iago Maidana, zagueiro do Atlético-MG

    Iago Maidana, zagueiro do Atlético-MG

Quem vê Iago Maidana feliz com o momento no Atlético-MG não sabe o que ele passou para se firmar no clube. A curta trajetória do atleta de 22 anos no futebol foi recheada de polêmicas. No São Paulo, ele foi o pivô de uma crise política. Na Cidade do Galo, se envolveu em um episódio extracampo e ficou mais de um mês afastado. Hoje, ele é titular absoluto do time de Thiago Larghi.

No São Paulo, ele foi o pivô da polêmica que envolveu a renúncia de Carlos Miguel Aidar. Contratado por uma empresa, foi inscrito no Monte Cristo, da terceira divisão de Goiás à época, e depois repassado ao Morumbi por R$ 2 milhões. A transação foi investigada pelo Ministério Público, uma vez que é proibida a participação de investidores em negócios.

Em março passado, o defensor utilizou um medicamento que poderia testar positivo em caso de sorteio para o exame antidoping. O fato fez com que ele ficasse afastado do elenco por mais de um mês. A volta aconteceu em 8 de maio, na queda para o San Lorenzo na Copa Sul-Americana.

O olhar de desconfiança nos bastidores do clube, no entanto, fez com que ele ficasse apenas na reserva por mais de 80 dias. Desacreditado, se tornou a quarta opção para o setor, atrás de Leonardo Silva, Gabriel e Juninho.

A volta de Maidana aos gramados aconteceu somente em 25 de julho, no triunfo por 2 a 0 sobre o Paraná. Desde então, ele foi titular em todos os compromissos do Galo - já são nove ao todo. Sem nem sequer ser substituído, forma ao lado de Leonardo Silva uma defesa sólida. Neste período, o time sofreu seis gols. A média de é de 0,67 gol sofrido por jogo desde que o jovem ficou entre os prediletos do comandante.

O deslize extracampo de Iago Maidana fez com ele fosse comparado a Róger Guedes nos bastidores da Cidade do Galo. Elias crê que o contexto vivido pelo zagueiro se assemelha ao do atacante que teve problemas de indisciplina antes de se tornar o principal nome do time no Brasileirão.

"Ele trabalhou bastante, passou por um momento difícil, ficou mal e em nenhum momento largou. Pelo contrário. Ele queria estar atuando, queria jogar. Trabalhou duro e recebeu a oportunidade. Ele agarrou. Isso serve de exemplo, aconteceu com outros jogadores. Aconteceu com o Róger [Guedes], aconteceu comigo mesmo e aconteceu com o Maidana. Como eu falei, no Atlético, a gente conquista as coisas por meio do trabalho", disse o camisa 7.

A recuperação de Maidana é tratada como mérito do jogador no clube. Todos fazem questão de dizer isso à imprensa e ao próprio atleta.

"Acho que isso tem muito mérito dele. Ele soube passar pelo momento de dificuldade, inclusive aquele episódio do doping. Aquilo o atrapalhou a ter uma sequência. Ele teve paciência, trabalhou, trabalhou forte para que, na hora que surgisse a oportunidade, ele ocupasse a posição da melhor maneira possível. Ele vem trabalhando e tem todo apoio nosso, da comissão técnica, para melhorar ainda mais o jogo dele e é isso que vem acontecendo", afirmou Thiago Larghi.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos