Maicon confirma pedido de elenco do Inter e dispara contra D'Ale e Dourado

Jeremias Wernek e Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Lucas Uebell/Grêmio

    Maicon rebate provocações e incendeia pós-jogo do clássico Gre-Nal

    Maicon rebate provocações e incendeia pós-jogo do clássico Gre-Nal

Maicon confirmou o pedido de "controle nas provocações" por parte dos jogadores do Internacional. Em entrevista coletiva concedida nesta terça-feira (11), o capitão do Grêmio aproveitou para criticar D'Alessandro e Rodrigo Dourado.

A reportagem do UOL Esporte informou, em maio, que um grupo de jogadores do Inter havia solicitado aos gremistas para controlar o tom provocativo após os títulos recentes. Na avaliação vermelha, atitudes como a música "um minuto de silêncio" e as repetidas fotos sobre o tema estavam rompendo o tom de respeito entre os clubes. 

Após a partida entre os dois times, no último domingo, uma confusão tomou conta do corredor de acesso aos vestiários. Maicon, que não jogou, disse: "Depois não vem pedir arrego aqui". Nesta terça-feira, ele justificou os termos. 

"No dia do Gre-Nal que nós ganhamos de 2 a 1, onde a gente viveu uma situação desconfortável, onde diziam que iam ganhar da gente e rebaixar a gente no Campeonato Gaúcho. Não foi o que aconteceu, né? Fomos, lá ganhamos de 2 a 1. E logo em seguida que a gente fez dois gols, o D'Alessandro veio falar comigo e disse que queria falar comigo. Eu falei 'tu joga e deu'. No final do jogo, nós ganhamos e deu que a gente ia novamente enfrentar eles pelas quartas do Gauchão. Depois do jogo, ele foi lá. Ele, mais o Roger que agora está no Corinthians, o Moledo e o Lomba. Eles pediram para a gente parar com as provocações, parar com o 'Um Minuto de Silêncio', com o 'Sasha c…' e tudo mais. Falou que alguns jogadores nem estavam mais ali, mas esqueceu que ele sempre fez deboche com o Grêmio, sempre ofendeu o Grêmio, xingando e pegando caixão. Aqui se faz, aqui se paga", disse Maicon.

"A resposta de todo mundo foi de que não ia ter arrego e nada. Se a gente ganhar, vamos zoar. Se eles ganharem, podem zoar. Foi isso, e quando eu estava na porta do vestiário, o Damião passou e falou que a gente tinha que respeitar o Inter. Tem que respeitar mesmo, quando a gente ganha também. Não tem acordo, não existe isso no futebol. Principalmente se tratando de clássico com uma rivalidade dessas. Foi isso que aconteceu, até para ficar bem claro aos nossos torcedores. Nunca vou bater na porta deles e pedir para pararem de me zoar. É feio. Nunca vou fazer. A gente não expôs, deveria ficar guardado, e no momento certo a gente poderia falar. Eu posso tomar dez porradas em clássico, ser zoado que vou trabalhar. Jamais vou bater lá… Eu vou dar minha cara a tapa, mas não vou pedir arrego como eles fizeram com a gente", continuou. 

"O que teve morreu ali. Decidimos entre nós que não iríamos parar. Ao contrário do que alguns pensam, não tem essa de tirar o pé. Não houve isso. O que ele pediu foi para pararmos com 'Sasha c...', 'Um Minuto de Silêncio', e a gente decidiu que não ia acabar. Ele fez muito isso, então tem que atirar. Tanto que a gente ganhou e fez as brincadeiras. Não vai acabar. Não vai parar", completou. 

Maicon aproveitou para também responder Rodrigo Dourado, que rebateu as provocações após o jogo.

"Quem? Corneta de quem? Não sei quem é Dourado. Quem é Dourado? Vou refrescar a memória dele… Ele falou que eu fugi do jogo. Eu joguei oito clássicos, ganhei três, perdi um e empatei quatro. Onde ele estava no 5 a 0? Onde estava no 2 a 1 que teve esse episódio aí? Onde ele estava no mata-mata, no 3 a 0? Joguei não sei quantos São Paulo x Corinthians, São Paulo x Palmeiras. Como vou correr de clássico? Ele disse que tomou duas injeções para jogar. Bom, eu tomo mais injeção do que bebo água para jogar. Tenho quase 33 anos e nunca joguei sem dor. Quero ver jogar como eu joguei ano passado, com pé podre", disse Maicon.

"Não conheço o Dourado. E outra, manda calibrar o pé duro dele. Muito fraquinho", disparou.

Uma rixa entre Maicon e D'Alessandro não é nova. Os dois capitães chegaram a discutir durante o sorteio do árbitro antes de um clássico Gre-Nal. Na ocasião, Maicon teria dito que não deixaria D'Ale "apitar a partida". 

Também não é novidade um jogador que não atua participar de transtornos após o apito final. No clássico do primeiro turno do Brasileiro, D'Alessandro, que ficou no banco, entrou em campo e brigou com Luan. Posteriormente, acabou suspenso. Desta vez, foi Maicon que não jogou e causou confusão. 

O gremista descartou um encontro com o capitão do Inter para aliviar o tom de rivalidade entre eles. 

"Não... contato não tem, não deve ter e não terá. Pelo menos da minha parte. Cada um vai defender seu lado. Provação tem aqui, em São Paulo, Rio e Minas. Isso é um jogo, não é guerra. Que seja jogo honesto, cada um querendo vencer. Nada além disso. E quem ganha, tira onda. Somos rivais", finalizou. 

O Gre-Nal acabou com vitória de 1 a 0 para o Inter. O Grêmio, agora, se prepara para encarar o Paraná, enquanto o Inter terá pela frente a Chapecoense. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos