Atlético-MG reduz folha, se desfaz de medalhões e supera campanha de 2017

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Lucas Sabino/AGIF

    Atlético-MG apostou em elenco mais barato em 2018

    Atlético-MG apostou em elenco mais barato em 2018

Com 56 pontos, a uma rodada do fim do Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG superou o que fez em 2017 no mesmo torneio. Sem os medalhões de outrora - Fred, Robinho, Rafael Moura e outros deixaram o elenco -, o Galo enxugou a folha salarial e, mesmo que tenha atrasado dois meses de pagamento, precisa somente de uma vitória sobre o Botafogo, no sábado (1º), para garantir a vaga na próxima edição da Copa Libertadores.

A saída de jogadores renomados para a contratação de nomes mais baratos foi uma das políticas adotadas por Sérgio Sette Câmara, presidente eleito em dezembro do ano passado. A ideia era reduzir os gastos mensais para ter dinheiro o suficiente para as contratações. O plano não foi seguido 100% à risca. O clube ainda deve salários referentes a setembro e outubro ao elenco comandado por Levir Culpi. No entanto, o mandatário conseguiu diminuir o gasto com a folha salarial em mais de R$ 2 milhões mensais.

Em 2017, quando teve medalhões como Felipe Santana, Robinho, Fred e Rafael Moura no plantel, o Galo gastava R$ 11,3 milhões mensais com vencimentos. Em 2018, este número foi reduzido para R$ 9 milhões. A queda nos valores acarretou em um elenco com menos medalhões e mais jovens. Neste período, apesar da queda de gastos com salários, o time alvinegro gastou cerca de R$ 30 milhões com reforços. O mais caro foi Yimmi Chará, adquirido por US$ 6 milhões (cerca de R$ 22 mi à época).

Apesar das críticas, sobretudo vindas da torcida, o Atlético está perto de alcançar a meta que era traçada apenas para a próxima temporada: conseguir uma vaga na Copa Libertadores.

Basta um resultado positivo diante do Botafogo, no estádio Independência, para o time mineiro assegurar a classificação no torneio. A situação é bem diferente do que ocorreu no endinheirado Galo de 2017.

Com 56 pontos em 37 rodadas, o Atlético já tem dois pontos a mais do que conseguiu no ano passado, quando ficou a uma posição do grupo de classificação para o principal torneio continental.

Fracassos em outros torneios

Pedro Vale/AGIF
Atlético-MG perdeu para o Cruzeiro na final do Mineiro

Embora o desempenho seja superior no Brasileirão, o Atlético decepcionou em outros torneios. O Galo perdeu para o Cruzeiro na final do Campeonato Mineiro. Na temporada passada, o Alvinegro havia vencido o arquirrival neste estágio.

A performance na Copa do Brasil também foi inferior. Em 2017, o time perdeu para o Botafogo nas quartas de final. Já na atual temporada, a derrota veio nas oitavas, para a Chapecoense.

O Atlético caiu na primeira fase da Copa Sul-Americana 2018 para o San Lorenzo, da Argentina. Em 2017, o time disputou a Libertadores e perdeu para o Jorge Wilstermann, da Bolívia. A eliminação aconteceu nas oitavas de final.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos