Atlético-MG encerra Brasileirão com vitória e drama no melhor 'estilo Galo'

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

O torcedor do Atlético-MG costuma dizer que 'se não é sofrido, não é Galo'. E foi assim na vitória deste sábado por 1 a 0 diante do Botafogo. Para ficar de fora do  G-6, o time mineiro não poderia triunfar no Horto e o xará paranaense teria que bater o Flamengo. No Rio, o Furacão virou o jogo faltando mais ou menos 20 minutos para o fim. No Independência, a tensão das arquibancadas se misturou com o apoio dos torcedores e a garra do time para segurar os três pontos até o final do jogo. Com muito drama, o alívio só veio após o apito final.

"Se for tranquilo não é o Atlético. É o time mais brasileiro que existe, deixa tudo para a última hora. Por tudo que fizemos no Brasileiro, coroamos o profissionalismo dos atletas que, mesmo nas adversidades, não desistiram", falou o goleiro Victor.

Cazares foi o autor do único gol da partida. Tanto no primeiro, quanto no segundo tempo, a equipe ainda criou novas chances de matar o jogo, mas saiu de campo apenas com a vantagem mínima. A vitória colocou o Galo na pré-Libertadores. O time ainda precisará passar por dois adversários para disputar a fase de grupos.

"O Atlético é muito grande para ficar fora da Libertadores. A Libertadores ganha com o Atlético. Será muito importante disputar uma competição como essa", falou o zagueiro Gabriel.

"O planejamento feito em janeiro passava por classificação para a Libertadores. Não foi fácil, mas o objetivo foi alcançado. Saímos precocemente na Sul-Americana, fomos eliminados na Copa do Brasil, mas chegamos à Libertadores. Isso nos dá tranquilidade de entrar nas oitavas na próxima Copa do Brasil. Só temos que agradecer aos torcedores, que pediram tanto essa classificação", comentou o atacante Ricardo Oliveira.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos