Atletas do Flu mostram alívio com permanência na elite: "Muita pressão"

Do UOL, em São Paulo (SP)

O Fluminense entrou em campo para a última rodada do Brasileirão com risco de cair para a Série B. Contudo, quebrou um jejum de oito jogos sem vitória, bateu o América-MG por 1 a 0, selou a permanência na elite e ainda garantiu uma vaga na próxima Sul-Americana. Após a partida, os jogadores comemoraram, rezaram juntos no gramado do Maracanã e expressaram um grande sentimento de alívio por terem evitado o pior.

"É um caminhão de areia que saiu das minhas costas, tirou um peso, a pressão estava muito grande", disse Digão ao canal Premiere. "Apesar de o grupo ser jovem, teve maturidade para lidar bem com isso. Agora é esquecer futebol por um mês. Eu tenho uma carreira no Fluminense e não poderia sair daqui deixando o clube na segunda divisão", acrescentou o jogador, que estava emprestado pelo Cruzeiro até o fim do ano e agora retornará a Belo Horizonte. 

Gum seguiu a linha de Digão e falou sobre a carga emocional que envolvia a partida com o América. "Muita pressão em cima desse grupo. A torcida não sabe a carga emocional que enfrentamos. Quem não entrou em campo não remou o contrário e também ajudou, incentivou", afirmou o zagueiro.

Marcos Júnior mostrou o mesmo alívio dos companheiros e exaltou o "caráter" da equipe. "Tivemos frieza e caráter, o grupo merece. Espero que no ano que vem seja diferente", disse o jogador, que fez mistério sobre a permanência no clube, já que seu contrato termina no dia 31 de dezembro. 

"Não sei se fico ainda, mas se ficar, darei meu máximo e vou honrar essa camisa. Se eu for embora, sou muito grato pelo Fluminense por tudo que fez na minha vida, pela torcida também, e é bola para a frente."

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos