Boa vence, quebra tabu e impõe a quarta derrota seguida ao Atlético-GO

Do UOL, em Belo Horizonte

Com um gol marcado nos acréscimos da etapa inicial e outros dois nos descontou do segundo tempo, o Boa Esporte venceu o Atlético-GO, por 3 a 0, na noite desta terça-feira, no Estádio Serra Dourada, em Goiânia, iniciando com triunfo fora de casa o returno da Série B do Brasileiro. Esta foi a primeira vitória do time mineiro na curta história desse confronto, que registrava cinco partidas anteriores, com três empates e duas derrotas. O rubro-negro goiano, por sua vez, sofreu a quarta derrota consecutiva na competição.

Dessa forma, o Atlético-GO segue estacionado com 25 pontos e pode se aproximar perigosamente da zona de rebaixamento, com a sequência da 20ª rodada, na sexta-feira e no sábado. No momento, o time atleticano está a seis pontos do Icasa, que abre a área de risco, de Bragantino, o primeiro fora dela, e também do Oeste, 18º colocado. Já o Boa Esporte, que voltou a vencer fora de casa, após duas derrotas seguidas, chegou a 30 pontos, assumiu a sétima colocação e aproximou-se do G4.

As fases do jogo: A etapa inicial começou com o Boa melhor estruturado em campo. Mais fechado, o time mineiro jogava no erro do adversário, que atacava mais, embora de forma pouco organizada. Os dois primeiros lances de perigo foram criados pela equipe visitante, ambos com Fernando Karanga. Na melhor chance, aos 6 min, ele disputou com o goleiro Roberto, levou vantagem e tentou encobrir marcadores, mas mandou por cima da trave. O Atlético só ameaçou aos 18 min, quando Lino cabeceou e João Carlos defendeu. Aos 35, o time da casa fez gol, com Marcos Winícius, anulado por impedimento. Já nos acréscimos, aos 47 min, o Boa marcou e valeu: Wellington, aproveitando rebote de Roberto.

O Boa voltou com a mesma formação, mas o Atlético-GO retornou com uma alteração para torna-lo mais ofensivo. O técnico Hélio dos Anjos tirou o volante Foguinho e colocou o atacante Diego Campos. "Estamos com resultado adverso, precisamos atacar mais, agredir mais. Vou entrar por isso", justificou Campos. E a equipe atleticana conseguiu ser mais ofensiva em boa parte da etapa final e teve algumas chances, como aos 17 min, com Juninho. O Boa diminuiu a quantidade de contra-ataques, mas também levou perigo quando chegou ao seu campo de ataque. Nos minutos finais, o Atlético-GO partiu definitivamente para a pressão, mas, em dois contra-ataques fulminantes Fernando Karanga e Morato fizeram 3 a 0 para a equipe visitante.

O melhor: Wellington – Além de cumprir com eficiência sua principal missão, que é a marcação aos adversários, o volante Wellington se transformou no 'elemento surpresa' em favor do Boa e fez o gol que abriu o caminho para o triunfo.

O pior: Yago – Atuação apagada do atacante do Atlético-GO, que movimentou-se pouco, sem conseguir levar muito perigo ao gol defendido por João Carlos, do Boa.

A chave do jogo: Marcação forte e contra-ataque rápido – O Boa Esporte entrou em campo no Serra Dourada disposto a marcar forte e a explorar a velocidade dos atacantes Diego e Fernando Karanga nos contra-ataques. Fez isso a maior parte do tempo e teve sua tarefa facilitada pelos generosos espaços cedidos pelo Atlético-GO.

Toque dos técnicos: Nedo Xavier, do Boa Esporte, armou o seu time para jogar recuado, explorando contra-ataques. Foi assim que fez o seu gol nos acréscimos do primeiro tempo. Na etapa final, o time mineiro se fechou ainda mais e, apesar dar alterações feiras por Hélio dos Anjos, com o objetivo de deixar sua equipe mais agressiva e veloz, não teve força suficiente para furar o bloqueio defensivo adversário e empatar a partida.

Para lembrar:

Público pequeno: Vindo de três derrotas seguidas, que o deixaram preocupado com a zona de rebaixamento e distante do G4, o Atlético-GO atraiu um pequeno número de torcedores ao Serra Dourada, vazio na noite desta terça-feira. Apenas 781 pagantes. Parte dessa pequena torcida chegou a gritar "olé" quando o Boa tocava a bola na reta final da partida.

Desfalques x mudanças por opção. Além de não fazer boa campanha, o Atlético-GO sofreu com desfalques. Os principais foram o lateral Jonas e o atacante André Luiz. Já o Boa Esporte, começou o jogo com duas alterações em relação à vitória sobre o Icasa, ambas por opção de Nedo Xavier: Tinga e Diego nas vagas de Eric e Uelisson Pikachu.

Gol dedicado ao pai. Autor do único gol do primeiro tempo, aos 47 min, Wellington balançou pela primeira vez, nesta Série B, as redes adversárias e dedicou ao pai o seu tento. "Beijo, paizão, te amo" falou para a câmera do Premiére. "Estava atrás desse gol há muito tempo. Meu pai (Eduardo) é muito importante para mim", justificou o volante, em entrevista no intervalo.

ATLÉTICO-GO 0 X 3 BOA ESPORTE

Data: 2/9/2014 (terça-feira)
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (ES)
Auxiliares: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Vanderson Antonio Zanotti (ES)
Cartões amarelos: Diego, Vinícius Hess, Franci(BOA); Foguinho, Adriano, Wellington (ATLÉTICO-GO)
Gols: Wellington, aos 47 min do primeiro tempo; Fernando Karanga, aos 48 min e MOrato, aos 49 min do segundo tempo

ATLÉTICO-GO
Roberto; Mateus Caramelo (Pedro Bambu), Adriano, Lino e Victor Oliveira; Marcus Winícius, Foguinho (Diego Campos), Luciano Sorriso e Jorginho (Kayke); Juninho e Yago
Técnico: Hélio dos Anjos

BOA ESPORTE
João Carlos; Tinga, Ciro Sena, Thiago Carvalho e Marinho Donizete; Vinicius Hess (Betinho), Wellington, Tomas e Clébson (Morato); Diego (Franci)e Fernando Karanga
Técnico: Nedo Xavier

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos