Com maior público dos "Brasileiros", Vasco e Ceará ficam no empate sem gols

Do UOL

  • Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br

    Ceará e Vasco jogando diante de 56 mil torcedores em Fortaleza

    Ceará e Vasco jogando diante de 56 mil torcedores em Fortaleza

No duelo entre os dois primeiros colocados do Campeonato Brasileiro da Série B, Ceará e Vasco decepcionaram os 56.400 torcedores (55.445 pagantes) - maior público das quatro divisões do Nacional em 2016 - que foram à Arena Castelão e empataram por 0 a 0 em um jogo de poucas emoções, nesta terça-feira, na 19ª rodada da competição.

Com este resultado, a equipe carioca encerrou o primeiro turno como líder e campeão simbólico com 39 pontos, enquanto o Ceará ficou na vice-liderança com 35 pontos. No entanto, a equipe cearense ainda pode ser ultrapassada pelo Atlético-GO, que só entra em campo no dia 16 de agosto, contra o Bahia, na Arena Fonte Nova. 

O empate sem gols também fez com que o Vasco chegasse à quinta partida consecutiva sem derrotas na Série B. O último revés do clube foi contra o Avaí, no dia 2 de julho, na Ressacada, em duelo válido pela 14ª rodada.

Casa (mais) cheia (do Brasil)

Os 55.455 que pagaram ingressos para ver o jogo desta terça-feira colocaram a partida na primeira colocação da lista de jogos com os maiores públicos de 2016 entre as competições nacionais. Até então, o recorde pertencia ao jogo São Paulo 2 x 2 Chapecoense, pela Série A - que aconteceu no domingo, dois dias antes. O jogo com mais público do Brasil, porém, foi na Copa Libertadores da América: São Paulo 0 x 2 Atlético Nacional, com 61.766 pagantes.

Quem foi bem: Nenê, criativo e arisco

O meia vascaíno Nenê não chegou a ter uma atuação que lembrasse seus melhores jogos com a camisa do time carioca, mas, mesmo assim, foi o atleta mais lúcido e participou de quase todos os lances ofensivos dos visitantes, principalmente no primeiro tempo.

Todas as bolas do ataque do Vasco passaram pelos pés do camisa 10. Ele tentou fazer lances de efeitos, driblou adversários e deixou seus companheiros em boas condições de marcar. Não à toa, o meia foi o atleta vascaíno mais vaiado pela torcida do Ceará.

No segundo tempo, Nenê caiu de produção, assim como a qualidade da partida no geral.

Já pelo lado do Ceará, Wescley deu bastante trabalho à defesa vascaína com dribles, bons passes e muita velocidade.

Quem foi mal: Rafael Costa, o artilheiro dos gols perdidos

Sem o artilheiro Bill, lesionado, o Ceará apostou suas fichas no atacante Rafael Costa, mas ele não correspondeu.

O atleta bem que tentou dar a vitória para os mandantes, porém pecou demais nas finalizações.

No primeiro tempo, o camisa 9 teve três boas chances. Em uma delas, ficou cara a cara com o goleiro Martín Silva, mas pegou mal na bola e chutou para fora. Curiosamente, nos arremates de fora da área, o atacante levou mais perigo contra a meta vascaína.

Ceará mais perigoso na etapa inicial

No primeiro tempo, os mandantes foram mais perigosos, mas não conseguiram a vantagem no placar graças à má pontaria de Rafael Costa. Já na etapa complementar, a partida ficou mais equilibrada, com bastante disputa no meio de campo e faltas duras de ambos os times.

Susto

Aos 20 minutos da segunda etapa, o zagueiro Rafael Marques e o atacante Jorge Henrique, ambos do Vasco, chocaram-se na área vascaína. O defensor levou a pior, precisou ser atendido fora de campo e foi substituído por Jomar. Na saída, o atleta nem chegou ao banco de reservas e sentou no gramado.

Agenda

O Vasco volta a campo pela Série B no dia 20 de agosto, contra o Sampaio Corrêa, em São Januário. Já o Ceará, quatro dias antes, visita o Paysandu em Belém. 

FICHA TÉCNICA
CEARÁ 0 X 0 VASCO

Data: terça-feira, 02 de agosto de 2016
Horário: 21h30 (de Brasília)
Local: Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
Árbitro: Rafael Traci (PR)
Assistentes: Luiz Souza Santos e Victor Hugo Imazu (ambos de PR)
Cartões amarelos: Andrezinho, Jorge Henrique, Nenê , Yago Pikachu e Rodrigo (Vasco); Wiliam Henrique, Richardson e Eduardo (Ceará).

CEARÁ:  Éverson; Eduardo, Charles (Lucas Gomes), Valdo e Thallyson; Diego Felipe, Richadson, Wescley e Felipe; William Henrique (Serginho) e Rafael Costa (Tiago Cametá)
Técnico: Sérgio Soares

VASCO: Martín Silva; Madson, Rafael Marques (Jomar), Rodrigo e Julio Cesar (Henrique); Diguinho, Andrezinho, Yago Pikachu (Éder Luís) e Nenê; Jorge Henrique e Éderson
Técnico: Jorginho

 

 

 

 

UOL Cursos Online

Todos os cursos