Inter controla Brasil-PEL e volta a vencer na Série B após três jogos

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Internacional

    Fabinho marcou para o Inter; time havia empatado com América-MG, Santa Cruz e Paraná

    Fabinho marcou para o Inter; time havia empatado com América-MG, Santa Cruz e Paraná

O Internacional voltou a vencer na Série B do Campeonato Brasileiro. Neste sábado (24), o Colorado fez um jogo mais agudo e bateu o Brasil de Pelotas fora de casa. Seguro defensivamente, o time arriscou mais e marcou com Fabinho. Na etapa final, com sinais de cansaço, conseguiu segurar o resultado e terminar com a série de empates recente.

A vitória poderia ter sido maior. Nos dois tempos, o Inter perdeu grandes chances. A maioria por falta de pontaria.

O resultado leva o Internacional aos 17 pontos e o terceiro lugar na tabela. Já o Xavante para nos 14 pontos e cai para o nono lugar na classificação.

Antes de ganhar em Pelotas, no estádio Bento Freitas, o Colorado fez duas partidas pobres contra Paraná e Santa Cruz. A sequência de três empates começou diante do América-MG.

Na próxima rodada, o Inter recebe o Boa Esporte no estádio Beira-Rio e o Brasil visita o América-MG, no Independência. As duas partidas serão no sábado (1), com o Colorado atuando às 16h30 (Brasília) e o Xavante às 19h.

Quem foi bem: D'Alessandro

Argentino deu assistência para o gol de Fabinho, mas antes já havia criado. Distribuiu passes, tentou finalização por cobertura e ainda acumulou outra chance que foi para fora. Levou vantagem em praticamente todas as disputas com Breno, do Brasil de Pelotas.

Quem foi mal: Junio

Lateral direito foi a segunda substituição do Inter e não entrou bem. A partir de falhas dele, o Xavante criou boas chances e ficou mais perto do gol.

Personagem: Fabinho completa volta por cima

Fabinho esteve com os dois pés fora do Inter, ficou após a demissão de Argel Fucks no Vitória e ressurgiu. A volta por cima foi completada com o gol em Pelotas. Escalado como lateral, ele pintou no ataque e chutou forte. Rasteiro. Vencendo o goleiro e superando o passado.

Inter arrisca e perde chuva de gols

Ricardo Duarte/Internacional

O Inter deixou claro desde o primeiro minuto que ia arriscar mais a gol e assim o fez. Antes de marcar com Fabinho, o Colorado teve pelo menos três oportunidades claras para balançar a rede. Agudo, mas ao mesmo tempo seguro defensivamente o time de Porto Alegre dominou o primeiro tempo mesmo fora de casa.

Sasha, D'Alessandro, Brenner. Todos eles tiveram pelo menos duas oportunidades para marcar. E dos mais variados jeitos, o que por si só vale como evolução em relação aos empates com Santa Cruz e Paraná – onde o Colorado sequer finalizou a gol.

Depois de 15 minutos de segunda tempo, o Inter se fechou. Com sinais de cansaço, o time cedeu terreno e domínio no meio-campo. Em consequência disso, foi pressionado e assistiu o Xavante criar suas primeiras oportunidades de marcar. Na reta final ainda deu tempo para o Colorado perder quatro outras chances incríveis. Diego foi o protagonista de duas delas, um chute por cima e outro que parou na trave direita.

Brasil não encaixa seu jogo clássico

O jogo do Brasil de Pelotas, de força física e bola aérea, não encaixou contra o Inter. A ligação direta, que foi usada para escapar do meio-campo e marcação forte do Colorado, foi uma das explicações para pobreza ofensiva. Na defesa, o lado esquerdo sofreu e levou todo o sistema junto com falhas técnicas e de posicionamento.

No segundo tempo o Xavante aumentou o seu volume e ficou mais perto da área de Danilo Fernandes. A postura, combinada com o fôlego perto do fim no lado do Inter, foram a receita. Lincoln foi o homem mais perigoso do lado dos donos da casa.

Guto Ferreira usa Edenílson no meio

Ricardo Duarte/Internacional

O meio-campo do Inter foi mais seguro e uma das razões atende pelo nome de Charles. O volante foi escalado ao lado de Rodrigo Dourado e melhorou o combate. Ajudou na saída mais rápida para o ataque. O setor ainda contou com Edenílson e Fabinho atuou como lateral. E lá na frente, sem Nico López, Brenner foi o escolhido.

Na segunda etapa, Guto primeiro tirou Sasha para entrada de Diego e depois sacou Charles para ingresso de Junio. A segunda troca empurrou Fabinho para o meio-campo. Todas as mexidas visaram manter a intensidade do time.

Xavante poupa sete

Rogério Zimermann surpreendeu e mudou o time do Brasil de Pelotas em sete posições. Eduardo Martini, Evaldo, Leandro Camilo, João Afonso, Marlon, Wagner e Bruno Lopes forma preservados. Com isso, a formação foi bem diferente daquela que quebrou a invencibilidade do Juventude na Série B em pleno Alfredo Jaconi, na quinta-feira. As mexidas afetaram o jogo.

FICHA TÉCNICA
BRASIL DE PELOTAS 0 X 1 INTERNACIONAL

Data e hora: 24/06/2017 (Sábado), às 16h30 (Brasília)
Local: estádio Bento Freitas, em Pelotas (RS)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares: Cristian Passos Sorence e Marcio Soares Macial (ambos de Goiás)
Cartões amarelos: Marcelo Pitol, Cirilo, Wender (BRA); Fabinho, Uendel (INT)
Gols: Fabinho, aos 38 minutos do primeiro tempo (INT)

BRASIL-PEL: Marcelo Pitol; Wender, Cirilo, Teco e Breno; Leandro Leite (Gustavo Papa), Itaqui, Rafinha (Aloísio), Marcinho, Nem (Juninho); Lincoln
Técnico: Rogério Zimermann

INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; Fabinho, Klaus, Danilo Silva e Uendel; Rodrigo Dourado, Charles (Junio), Edenílson, D'Alessandro e Eduardo Sasha (Diego); Brenner (Marcelo Cirino)
Técnico: Guto Ferreira

UOL Cursos Online

Todos os cursos