Guto Ferreira evita explicações e diz que Inter não jogou como tem treinado

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Jeferson Guareze/AGIF

    Sasha tenta superar marcação do Boa Esporte no Beira-Rio

    Sasha tenta superar marcação do Boa Esporte no Beira-Rio

O técnico Guto Ferreira não quis dar explicações para a derrota do Inter em casa para o Boa Esporte. Neste sábado (1), o treinador disse que a equipe não atuou como trabalhou na última semana de atividades.

"A derrota, se tratando de Inter, nunca é explicável. Não tem o que explicar. O que tem que dizer é que o Boa foi mais feliz na estratégia que a gente. Tivemos posse, que não ganha jogo. Faltou ser mais contundente. Encontramos um time fechado, e isso vem se repetindo. E ainda não encontramos uma maneira de furar estas equipes que vem numa condição mais competitiva. Nas últimas duas em casa não aconteceu e temos que achar uma solução para isso", disse Guto.

A queda em casa veio logo após a uma semana de intertemporada em um resort na região metropolitana de Porto Alegre. O treinador pedia, até então, tempo para colocar suas ideias em prática. O teve e o desempenho foi aquém do esperado.

"A semana toda a equipe treinou bem. E hoje não conseguiu reproduzir. Teve volume de ataque, gols mesmo simulando situações de retranca, e isso não aconteceu. Não achamos soluções contra um time que competiu bastante. Até por isso eu concordo com ele sobre o time. O que treinou, teve atitude, profissional, determinada, e hoje faltou alguma coisa para que pudessemos romper esta inércia e situação de dificuldade no último terço do campo", afirmou.

Após a derrota, a torcida protestou forte, entrando em confronto com a Brigada Militar, que usou bombas de efeito moral e spray de pimenta para conter os mais exaltados. Pedras e garrafas foram arremessados contra os homens da lei. O clima foi tenso no estádio Beira-Rio.

"Não podemos negar que há uma carga de pressão pessoal, de jogador para jogador, que gostaria de viver um momento melhor. Eles se cobram também. Não é externo. Todos querem acertar e quando as coisas não acontecem vem um momento na cabeça que é de não estar conseguindo. Isso momentaneamente acaba quebrando o foco e isso é um tipo de situação que temos que ultrapassar. Quando formos batidos, levar um gol, ir buscar para reverter", finalizou.

O Colorado tem mais uma semana para trabalhar. No próximo sábado recebe o Criciúma, novamente em casa.

UOL Cursos Online

Todos os cursos