Zagueiro do Inter diz que não usou termos racistas contra atacante do Ceará

Do UOL, em Porto Alegre

O zagueiro Victor Cuesta se manifestou no fim da tarde desta quarta-feira (12). Após a polêmica acusação do atacante Elton, do Ceará, que disse ter sido chamado de 'macaco' pelo argentino, ele respondeu admitindo a discussão mas negando o uso de palavras racistas. 

"Estou aqui porque fiquei um pouco surpreso com o que aconteceu no jogo. Nunca fiz isso. Na minha carreira nunca aconteceu nada estranho. Se procurar minha carreira, nunca faltei com respeito a vocês, colega, adversário, companheiro. É verdade que a gente se xingou, mas com respeito. São coisas que ficam dentro do campo. Nem eu faltei com respeito a ele, nem ele me faltou respeito. Estou muito contente no Brasil e jamais faria uma coisa assim. Nada mais a declarar", disse. 

A discussão ocorreu perto dos 35 minutos do segundo tempo do jogo entre as duas equipes, vencido pelo Inter por 2 a 0. Nas imagens da transmissão de televisão não há o registro de Cuesta chamando Elton de 'macaco', como o jogador rival protestou. Mas quando ambos receberam cartão amarelo, o atacante do time cearense aponta para o colorado e indica ao árbitro, como reclamando de tal fato. 

Depois de debater com o departamento jurídico do Ceará, Elton decidiu por realizar um Boletim de Ocorrência, que será registrado na manhã de quinta-feira, em Fortaleza. 

Depois do jogo de terça-feira - vencido pelo Inter por 2 a 0 - Elton, em entrevista coletiva, disse claramente que foi chamado de 'macaco' pelo jogador do Internacional. 

"Foi o Victor Cuesta, zagueiro. Me chamou de macaco", disse. "É lamentável. Nos tempos de hoje uma atitude dessas... É absurdo que isso ocorra. Alguns jogadores do time deles ouviram ele falar. Perdi a cabeça porque sou um ser humano. É inadmissível que uma atitude dessas ocorra. Tomara que as câmeras tenham pego este momento. Ficamos tristes, chateados. O Inter é um time grande e não merece ter um jogador desses, com uma atitude dessas", completou.

"Em relação a esta questão do Cuesta, falamos com ele e disse que não falou nada neste sentido. Houve uma discussão, ele foi xingado, mas não usou estes termos. Ele tem uma carreira longa, nunca se envolveu em coisas neste sentido. O jogado está dizendo que não fez, outro atleta está dizendo que ouviu ele falar estes termos que condenamos. Mas confiamos nele e ele diz que não fez. Discutiram, mas o que ele está sendo acusado, diz que não falou", afirmou o vice de futebol do Inter, Roberto Melo. "Tenho que confiar no que o jogador nos disse. Ele falou outros termos e talvez o jogador do Ceará tenha entendido errado. Nosso jogador nos passou que não falou. Não sei se alguém ouviu, eu não estava dentro de campo. É difícil, torcida gritando, estádio, pode ter algum ruído. Neste momento temos que falar do jogo e da vitória", finalizou.

UOL Cursos Online

Todos os cursos