Inter leva gol no fim e perde para o Vila Nova; direção mantém Guto

Do UOL, em Porto Alegre

  • ANDRÉ COSTA/ESTADÃO CONTEÚDO

    Alípio, do Vila Nova, comemora gol marcado contra o Internacional no Serra Dourada

    Alípio, do Vila Nova, comemora gol marcado contra o Internacional no Serra Dourada

O Vila Nova saiu na frente, sofreu empate em um pênalti polêmico, mas voltou a marcar aos 45min do segundo tempo para vencer o Inter por 2 a 1 neste sábado (22), no Serra Dourada. O resultado põe o time goiano no G-4 da Série B e deixa o técnico Guto Ferreira pressionado. A diretoria vai mantê-lo no cargo, mas cobrou uma melhora de rendimento.

A pressão sobre o treinador tem a ver com a partida: de novo, o Inter jogou pouco. Esteve atrás do placar em boa parte da partida e empatou em um pênalti polêmico. No fim, quando os colorados ainda acreditavam na virada, um contra-ataque acabou com gol de Mateus Anderson e decretou a derrota dos visitantes.

Com 26 pontos, o time goiano se prepara para defender o quarto lugar na próxima rodada, diante do Figueirense, fora de casa. Já o Inter ficou com 24, em sexto, e na próxima rodada pega o Oeste, no Beira-Rio. 

Divulgação/Internacional
D'Alessandro pouco ajudou o Internacional neste sábado

Melhor: Alemão segura ataque do Inter

O zagueiro Alemão foi encarregado de segurar o ataque do Internacional. Com jogadas de força e qualidade, o atleta conteve principalmente as chegas de William Pottker. Afastou sem enfeitar ou mostrar aptidão técnica, mas foi eficiente. 

Pior: Gutiérrez passa em branco

Nenhuma das ações ofensivas do Inter passaram por Felipe Gutiérrez. O chileno não conseguiu auxiliar D'Alessandro na criação de jogadas ou Rodrigo Dourado na defesa. Acabou substituído. 

Inter começa bem, mas Vila termina melhor

Os primeiros minutos de jogo mostraram o Internacional empenhado. Com Diego na vaga de Nico López, o lado esquerdo de ataque virou arma predileta dos gaúchos, que até criaram algumas chances de gol. Não conseguiram concluir e pecaram, repetidamente, no último passe. Com o passar do tempo, porém, o Vila Nova-GO fechou o espaço utilizado pelo visitante. E ao fazer isso, criou as principais chances de gol dos 45 minutos iniciais. Gastón e Alípio chegaram a concluir de dentro da área. Danilo Fernandes evitou que o placar fosse aberto.

Primeiro tempo de dificuldades técnicas

O que pautou o primeiro tempo, mais do que chutes, conclusões e lances de disputa técnica, foi a falta de qualidade. Vila e Inter erraram muitos passes, domínios e lançamentos. Foram lances muitas vezes simples, que acabaram desperdiçados por jogadores dos dois lados. 

Gol do Vila muda o jogo, Inter tem pênalti polêmico

O Inter não tinha velocidade, o Vila Nova esbarrava na falta de qualidade técnica. Até que um lance fortuito acabou no gol dos locais. Alípio aproveitou-se de falha de Rodrigo Dourado e empurrou para as redes. O lance obrigou o time gaúcho e buscar o ataque desesperadamente. Sobrou tensão e espaço para contra-ataque. Até que a pressão do Inter resultou num pênalti. Um cruzamento de Uendel acertou o braço de um defensor. O árbitro assinalou penalidade e William Pottker igualou. Só que em um dos contra-ataques cedidos pelo Inter, veio o gol que decretou o resultado.

Jogo sem torcida por punição ao Vila

Em razão da punição aplicada pelo STJD ao Vila Nova-GO e ao Goiás por conta de uma briga de torcidas no clássico do dia 24 de junho, o Serra Dourada recebeu o jogo sem qualquer torcedor presente. O resultado disso foi uma partida curiosa no aspecto sonoro. Gritos reclamações e orientações foram facilmente captadas pela transmissão da partida.

Data: 22/07/2017 (Sábado)
Local: estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Árbitro: Vinicius Furlan (SP)
Auxiliares: Vitor Carmona Metestaine e Bruno Salgado Rizo (ambos de SP)
Cartões amarelos: Victor Cuesta (INT), Claudio Winck (INT), Rodrigo Dourado (INT), Joanderson (INT);  Gastón (VIL), Geovane (VIL);
Cartões vermelhos: Geovane (VIL)
Gols: Alípio, do Vila Nova-GO, aos 14 minutos do segundo tempo; William Pottker, do Inter, aos 25 do segundo tempo; Mateus Anderson, do Vila Nova, aos 45  minutos do segundo tempo;


VILA NOVA-GO
Luis Carlos; Maguinho, Alemão, Wesley Matos e Gastón; PH (Claudinei), Geovane, Alan Mineiro e Mateus Anderson; Alípio (Mateus Muller) e Moisés (Thiago Adam).
Técnico: Hemerson Maia

INTERNACIONAL
Danilo Fernandes; CLaudio Winck, Danilo Silva, Victor Cuesta e Uende; Rodrigo Dourado, Fabinho, Felipe Gutiérrez (Juan) e D'Alessandro (Eduardo Sasha); Diego (Nico López) e William Pottker.
Técnico: Guto Ferreira
 

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos