Alemão vence 'pior momento da carreira' e paga promessa: "Entre eu e Deus"

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Internacional

    Alemão, jogador do Internacional, cruza o campo do Beira-Rio de joelhos

    Alemão, jogador do Internacional, cruza o campo do Beira-Rio de joelhos

Não foram só os três gols que marcaram a vitória por 3 a 0 do Inter contra o Figueirense neste sábado (16). Mas uma cena que sucedeu a partida. Alemão, lateral direito que voltou a jogar depois de cinco meses lesionado, cruzou o campo de joelhos. Na zona mista ele era só alegria e explicou a promessa paga. 

"Foi o pior momento da minha carreira. "Foi um período muito difícil. Todo atleta que vem com expectativa muito grande, eu vim para substituir o William, e você ter uma lesão que não te deixa jogar... Foi um momento difícil. O gesto foi para agradecer a força que Deus me deu no tempo parado. Não foi fácil. Foi eu, Deus e minha família. E alguns amigos que estendem a mão. Quando você não está jogando se sente inválido. Estar ali todos os dias numa maca. Eles (companheiros) passando de chuteira para ir treinar e eu numa maca. Não me sentia bem, me incomodava, só tenho a agradecer a Deus por estar de volta, pela saúde, pelo talento que me deu, e se Deus quiser agora vamos voar mais alto com a camisa do Inter", disse. "Foi um voto entre eu e Deus durante meu período difícil em casa. Minha intenção era fazer um pouco por Deus, um pouco de nada porque Deus faz muito pela gente e às vezes nem lembramos dele. Hoje é muito gratificante falar no nome de Deus para todos", completou. 

Alemão se lesionou em um treinamento pouco antes do início da Série B. Teve um edema ósseo no pé direito, precisou passar por longo tratamento e não disputava uma partida oficial desde 23 de abril, no jogo contra o Caxias pelo Gauchão. 

"Não digo uma estreia, mas uma reestreia. Foi meu momento mais difícil de toda carreira. Uma contusão séria. Todos diziam que era um pisão no pé. Mas foi uma lesão grave, todos sabem o que eu passei. É uma vitória, um grande recomeço pela vitória por 3 a 0 sobre o Figueirense, que é muito qualificada. E eu agradeço muito a Deus por isso", afirmou. 

Elogios e esperança

O técnico Guto Ferreira rasgou elogios a Alemão depois da partida. Segundo o comandante, a vitória pessoal do jogador foi muito importante no contexto do Inter. 

"Às vezes eu me ponho na posição do jogador. Como o Alemão. Ele recebeu uma oportunidade de se firmar num clube como o Inter, e chega aqui e tem uma contusão complicada, um edema ósseo. Na Ponte Preta em 2014, o Elton (que passou pelo Inter, volante) sofreu um edema ósseo e ficou seis meses sem jogar. Isso cria um impasse na cabeça do jogador.  Traz uma situação de muita dificuldade, ele se joga para baixo. Mas o Alemão sempre foi guerreiro. Foi um cara que buscava se superar e muitas vezes ele relatava o quanto se sentia mal. Dizia: não vim para ficar encostado, quero jogar, não sou atleta assim... Mas não podia ajudar. É uma situação terrível  para o atleta. E ele se recuperou do trabalho árduo, conseguiu jogar... Isso não tem preço", afirmou o técnico. 
 
 

UOL Cursos Online

Todos os cursos