Beira-Rio tem protesto, briga e corre-corre após empate do Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Marinho Saldanha/UOL

    Brigada Militar foi acionada para controlar grupo de torcedores no Beira-Rio

    Brigada Militar foi acionada para controlar grupo de torcedores no Beira-Rio

O empate do Internacional com o Vila Nova-GO, em 1 a 1, irritou os colorados. Logo depois do apito final, neste sábado (11), parte do púbico presente no Beira-Rio foi protestar perto do vestiário. O clima ficou tenso com confronto entre seguranças e torcedores, bombas de efeito moral e corre-corre.

O reclame do grupo começou com o pedido de demissão do técnico Guto Ferreira. A indignação levou o público presente em frente ao acesso do estádio a tentar uma invasão. A polícia foi acionada e houve arremesso de garrafas e pedras.

A cavalaria da Brigada Militar entrou em ação e contou com apoio de rojões e bombas de efeito moral para dispersar a aglomeração. Pelo menos uma pessoa foi detida na confusão.

O cenário remete ao início da caminhada do Internacional na Série B. Em meio aos resultados ruins e começo cambaleante, os torcedores transformaram os protestos e até conflitos no entorno em rotina. A série de vitórias com Guto Ferreira amenizou a situação.

A partida contra o Vila Nova-GO tinha expectativa de confirmar o acesso matemático. O Inter até saiu na frente e parecia encaminhar o retorno à elite, mas o empate na etapa final adiou o fim do martírio. O acúmulo de resultados ruins é a explicação para a irritação da torcida.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos