D'Alessandro diz que queda de Guto é triste, mas Inter não mereceu vencer

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Inter

    D'Alessandro ficou chateado pela demissão de Guto Ferreira, mas vê Inter mal

    D'Alessandro ficou chateado pela demissão de Guto Ferreira, mas vê Inter mal

Guto Ferreira foi demitido e o Inter não conseguiu superar o Vila Nova-GO e garantir o acesso à Série A. D'Alessandro foi o responsável por se manifestar em nome do grupo e avaliou a situação.

"Nosso objetivo é subir agora, continuar brigando pelo título. A situação do treinador é triste, porque quando cai o técnico, tem uma porcentagem de culpa nossa. Mas a maior parte é nossa, é de cada um de nós. Somos nós que jogamos, numa bola parada nos desconcentramos e fizemos com que o adversário faça o gol. Obviamente ele tem sua parcela, não podemos mentir. Mas a maior é nossa. Quando cai o técnico é porque nós não fizemos o que deveríamos fazer. Deixamos passar três oportunidades. A nossa queda de produção, em termos de futebol, foi importante. Ao lembrar a sequência, de nove vitórias seguidas em casa, 11 jogos e 10 vitórias, deixamos de ser este time... Não tem explicação. Só que acabe o ano, conseguir o que a gente precisa para o acesso, que o torcedor merece. Hoje lotou o Beira-Rio, e tem que ser reconhecido. Apoiaram. Não vaiaram durante os 90 minutos, mas foram corretos no final", afirmou.

Em campo, o Inter sofreu bastante. Saiu na frente, mas jogou pouco e acabou sofrendo o empate contra o Vila Nova-GO. Perdeu a liderança da Série B para o América-MG. E a queda de rendimento gerou a troca de comissão técnica.

"Fizemos bons 20 ou 25 mintos no começo do primeiro tempo, dominamos o adversários... A partir do gol tivemos uma queda muito grande, demos terreno, espaço e a bola pro adversários. Conseguimos sair do primeiro tempo ganhando, no começo do segundo, mais uma vez de bola parada tomamos um gol inexplicável. Não vi de novo, mas me lembro da jogada, um gol que o cara nem quis chutar, estava de fora pro gol. É a nossa fase, a fase que não ajuda. E nós não ajudamos também. Não merecemos ganhar. A partir daí temos que reconhecer que é difícil. Nós tínhamos que subir hoje. É triste, mas pelo que fizemos no campeonato, nós temos outra chance terça de subir, nem ganhar. Com empate vem o acesso. Cabeça no lugar e tentar conseguir o acesso de qualquer jeito terça", completou D'Ale.

O acesso ainda está próximo. Basta um empate contra o Oeste que a confirmação da volta à elite do futebol brasileiro está garantida.

"Não podemos prometer nada. Se for prometer até os últimos três jogos é subir. E vamos subir. Não do jeito que a gente queria. A gente liderando 14 rodadas, de repente tendo o título na mão e deixando passar oportunidades. A gente fica muito chateado. Eu tenho uma ideia de futebol que eu ouvi muito que o Inter tem obrigação de ganhar de muito, com pé nas costas, e se falou isso o ano todo. Eu quero é jogar bem. Eu quero é fazer um bom futebol, isso me dará possibilidade de ficar mais perto da vitória. E o torcedor sair do campo, mesmo perdendo, vai ficar satisfeito. Pelo futebol que o time pode ter apresentado. Jogar mal, já depende do adversário, da sorte, de que o adversário erre como errou hoje, que podíamos ter perdido, depois ganhado, entra o desespero. E isso a gente não quis nunca. Mas é normal, também. Com toda humildade achamos que conseguiríamos antes. Não conseguimos", explicou D'Ale.
 

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos