Vila Nova-GO busca empate, adia acesso do Inter e derruba Guto Ferreira

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Divulgação

    Claudio Winck foi autor do gol do Inter, mas o Vila Nova-GO buscou empate

    Claudio Winck foi autor do gol do Inter, mas o Vila Nova-GO buscou empate

O Inter viveu o 'dia do acesso'. Um cenário com mais de 30 mil torcedores no Beira-Rio, um gol cedo e vitória parcial. Mas o Vila Nova-GO estragou os planos. Neste sábado (11), o time gaúcho poderia voltar para Série A, mas o empate em 1 a 1 impediu que isso acontecesse. Agora, basta um empate na próxima rodada, contra o Oeste fora de casa. 

Depois do jogo, o técnico Guto Ferreira foi demitido pela direção do Internacional. 

Foi o quarto jogo sem vitória seguido do time de Guto Ferreira. O terceiro em casa. Com 64 pontos, o time vermelho ainda pode ser alcançado pelo quinto colocado, Oeste, que tem 57 pontos.
 
O placar em Porto Alegre tira o Colorado da liderança da Série B. O América-MG venceu o Santa Cruz e tomou o posto ao atingir 66 pontos. 
 
Faltam três rodadas e sete pontos são a diferença. Enquanto isso, o Vila Nova-GO soma 54 pontos e segue na briga.
 
O novo tropeço pressiona o técnico Guto Ferreira, muito vaiado no Beira-Rio. Mesmo com time perto do acesso, a permanência para o ano que vem está se tornando cada vez menos viável por conta da queda na reta final. 
 
Na próxima rodada o Inter visita o Oeste. E um empate confirma o acesso à Série A. Já o Vila Nova-GO pega o Figueirense, em casa. 

Pottker falha muito e não ajuda no contra-ataque

Após seu gol, a estratégia do Inter passou a ser fechar-se e lançar para o contra-ataque no Pottker. Não deu certo porque o goleador do Brasileiro do ano passado foi muito mal. Cometeu erros técnicos e não serviu como escape da defesa gaúcha. 

Filgueiras dá segurança ao time visitante

Se Pottker foi mal, muito foi por força da boa atuação de Gastón Filgueiras, que controlou o atacante vermelho a ponto de irritar o rival e gerar reclamações repetidas. 

Inter arranca gol no começo, mas cria quase nada

Tudo que o Inter precisava aconteceu. Um gol cedo. Foi difícil, não tinha sido construída qualquer chance de gol. E uma falta despretensiosa do lado esquerdo se ofereceu a D'Alessandro. Não houve jogada ensaiada ou algo do gênero, mas um cruzamento, arma predileta do Inter. Não deu certo no primeiro momento e um bate-rebate tomou conta da área. Até que a bola sobrou para Claudio Winck. Que, já sem goleiro, abriu o marcador. Só que mesmo na frente, o Inter teve uma tarde infeliz ofensivamente. Não criou qualquer oportunidade de gol e deu espaços ao rival. Praticamente sem qualquer chance de gol, o Colorado parecia prestes a sofrer gols. 

Recuo estratégico e busca pelo contra-ataque

A partir do gol, o Inter adotou um padrão defensivo. Tratou de unir suas linhas em frente ao gol e tentar forçar o erro do adversário. A partir da retomada da bola, esticadas rápidas a William Pottker, que não foi bem. O atacante pelo lado direito não conseguiu vitória pessoal sobre Gastón Filgueiras e acabou brecando o objetivo de marcar em uma escapada isolada. Sem outra alternativa, o Inter usou lances fortuitos para chegar no ataque. Não deu certo e a atuação acabou abaixo da crítica. 

Defesa falha e empate 'estranho' incendeia o jogo

A defesa do Inter foi bem no primeiro tempo. No primeiro tempo. O segundo mal havia começado e um gol 'estranho' tirou a vantagem vermelha do placar. Cruzamento que Thales afastou da área. Mas na volta, Ruan bateu no rebote e colocou nas redes do goleiro Danilo Fernandes, que chegou atrasado. Empate e a tensão tomando conta do jogo. 

Primeiro aplausos, depois vaias

Mesmo que antes do jogo a torcida presente tenha vaiado o técnico Guto Ferreira, quando anunciado no sistema de som, a torcida evitou qualquer reclamação. Por momentos, com o Vila Nova-GO em cima, porque também tinha objetivos em jogo e queria seguir lutando para subir, os aficionados aplaudiram o time e incentivaram bastante. Mas a paciência teve fim a partir do empate do Vila. No começo do segundo tempo, as vaias tomaram conta e a tensão ditou os minutos até o encerramento do jogo. Depois da partida, uma vaia muito forte tomou conta do estádio vermelho. 

Drama, tensão e quase derrota: Final foi às avessas

E quem imaginava uma vitória fácil do Inter, por pouco não viu uma derrota. O fim da partida foi às avessas. O Vla Nova, aos 36, teve uma chance muito clara de gol. Maguinho entrou sozinho, bateu, Danilo Fernandes defendeu a primeira. No segundo lance dividiu com o goleiro, sobrou para o terceiro, mas Léo Ortiz afastou. A tensão tomou conta do Beira-Rio, com o Inter revivendo atuações fracas do início da segunda divisão. 

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 1 X 1 VILA NOVA-GO


Data: 11/11/2017 (Sábado)
Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Dyorgines Padovani de Andrade (ES)
Auxiliares: Fabiano da Silva Ramires e Vanderson Antonio Zanotti (ambos do ES)
Renda: R$ 735.273,00
Público: 33.088 (total)
Cartões amarelos:  Rodrigo Dourado (INT), D'Alessandro (INT); Geovane (VIL), Fágner (VIL);
Gols: Claudio Winck, do Inter, aos 13 minutos do primeiro tempo; Ruan, do Vila Nova-GO, aos 4 minutos do segundo tempo;

INTERNACIONAL
Danilo Fernandes; Claudio Winck, Thales, Léo Ortiz e Uendel; Rodrigo Dourado, Edenílson, D'Alessandro, Pottker (Camilo) e Sasha (Nico López); Leandro Damião (Carlos).
Técnico: Guto Ferreira

VILA NOVA-GO
Luís Carlos; Maguinho, Alemão, Wesley Matos e Gastón Filgueira; Geovane, Fágner (Heitor), Anderson Luís (Léo Rodrigues), Alan Mineiro e Ruan; Lourency (Tiago Adan).
Técnico: Hemerson Maria
 

UOL Cursos Online

Todos os cursos