Quer pagar quanto? Paraná faz promoção e deixa livre preço de ingressos

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

Você se lembra do comercial daquele varejista, "quer pagar quanto?" É nessa linha que o Paraná Clube colocou à venda os 40.700 ingressos para o jogo final do clube na Série B, neste sábado, 17h30, contra o Boa Esporte no Couto Pereira, em Curitiba. O jogo é tratado como uma grande festa pela conquista do acesso à Série A do Brasileiro após 10 anos de segunda divisão.

A partir do preço mínimo de R$ 20, exigido pela CBF em regulamento, o torcedor pode deixar a colaboração que quiser nas bilheterias do clube. Leonardo Oliveira, presidente do Paraná, reconheceu uma certa inspiração no antigo comercial: "Mais ou menos (risos). A gente teve algumas ideias, quando a gente pensou nas promoções. Essa era uma delas e a gente achou oportuno encaixar agora. Essa era uma das grandes, encaixou como uma luva, graças aos bons resultados. A ideia principal é mostrar para o torcedor um posicionamento. A gente quer o torcedor ao lado do Paraná independente do que aconteça."

O jogo será no Couto Pereira, do Coritiba, que foi cedido em empréstimo com os custos apenas de manutenção do estádio, num acordo entre as duas diretorias. Oliveira explicou que é preciso cobrar uma taxa mínima. "Em alguns momentos, o mundo é capitalista, então é necessária a contribuição financeira. Quem puder contribuir com mais, vai com mais, quem puder com menos, vai também, quem não puder que vá com a garganta. O que importa é todo mundo junto."

Na Série A, Ponte Preta e Avaí também reduziram o valor dos ingressos na expectativa de encher o estádio em seus jogos e não ocuparem a "vaga" deixada pelo Paraná na Série B. Porém, em Campinas e Florianópolis, os clubes romperam o valor mínimo do regulamento da Série A. Oliveira explicou que, por uma questão fiscal, o Paraná não abaixou além do exigido pela CBF.

"Nós mantivemos. O valor mínimo é de R$ 20, o mínimo exigido pela CBF em todos os setores. O restante é o que ele puder complementar para ajudar. Os clubes custeiam a diferença. O valor mínimo existe para custear os sócios, para pagar as taxas e impostos. Quando se faz menor o valor, quem faz a R$ 6, por exemplo, tenta pagar só a tributação", contou, lembrando que 5% da arrecadação vai para o INSS e outros 5% para as federações locais.

O empresário Carlos Werner, um dos articuladores da retomada do Paraná – é hoje o principal investidor e administrador do CT da base do clube anunciou que irá "pagar" R$ 40 mil no ingresso. O presidente Leonardo Oliveira será um pouco mais comedido: "Eu sou sócio, vou fazer a minha contribuição. Temos um grupo que tá contribuindo com R$ 1000 cada um. O mais importante é a participação de todos. A gente dá o mesmo valor para o cara que dê 50 reais e vai fazer um esforço para tirar da renda de casa e colaborar. Tem muito significado pra nós."

Quem fizer a doação acima dos R$ 20 vai levar para casa um "voucher" que terá valor futuramente em novas ações do clube – além do registro histórico da despedida da Série B. "Foi feito um comprovante da doação, uma moeda do clube, que ele vai poder guardar para novas campanhas no futuro. Todos que paguem além dos R$ 20 vai ter esse comprovante", descreveu Oliveira.

UOL Cursos Online

Todos os cursos