! Torneio testa organização sul-africana e novo status de potência espanhol - 13/06/2009 - UOL Esporte - Futebol
UOL Esporte Futebol
 
13/06/2009 - 15h09

Torneio testa organização sul-africana e novo status de potência espanhol

Com caráter de evento-teste estabelecido pela Fifa nesta década, a Copa das Confederações começa neste domingo para colocar à prova aos olhos do mundo a capacidade de organização da África do Sul. O país anfitrião do Mundial do próximo ano, que superficialmente parece ainda ter expostas algumas fragilidades, terá que mostrar que é digno de abrigar a histórica primeira Copa em continente africano.

ESTÁDIOS DO TORNEIO
AP
 
Ellis Park
Johanesburgo

Construção: 1982
Status: reformado
Orçamento da obra: US$ 27 milhões
Capacidade atual: 61 mil pessoas
Free State Stadium
Bloemfontein

Construção: 1952
Status: reformado
Orçamento da obra: cerca de US$ 27 milhões
Capacidade atual: 48 mil pessoas
Loftus Versfeld
Pretoria

Construção: 1906
Status: reformado
Orçamento da obra: pouco menos de US$ 20 milhões
Capacidade atual: 50 mil pessoas
Royal Bafokeng Stadium
Rustenburg

Construção: 1999
Status: reformado
Orçamento da obra: US$ 44 milhões
Capacidade atual: 42 mil pessoas
D. ALVES DEIXA MAICON NA RESERVA
L. FABIANO QUER UM GOL POR JOGO
MAIS DA COPA DAS CONFEDERAÇÕES
Neste ano, o caráter de teste também pode ser aplicado para a disputa dentro de campo, que apresenta como principal novidade a figura de favorita da Espanha, atual campeã da Europa. Na competição, o futebol espanhol terá que mostrar que não é por acaso que detém o título da última Eurocopa, nem que um de seus times, o Barcelona, assombrou o mundo recentemente com jogo bonito e a taça da Liga dos Campeões, muito menos que seus jogadores sejam finalistas do prêmio de melhor do mundo da Fifa.

Com a presença em campo da campeã europeia Espanha e outras forças mundiais, como Brasil e Itália, a África do Sul tem a missão de tranqüilizar Fifa e crítica internacional a respeito de condições de estádios e infra-estrutura de modo geral, como facilidades de transporte, aeroportos eficientes e rede hoteleira capaz de abrigar visitantes estrangeiros.

Os olhos internacionais chegam ao país reticentes depois de notícias sobre uma preparação turbulenta, com atrasos de obras e greves de operários entre as preocupações mais destacáveis. No aspecto social, a violência do país, com índices entre os mais altos do mundo, também se configura como uma ameaça.

Na Copa das Confederações estarão em exibição apenas quatro das nove cidades sedes do Mundial e somente quatro dos dez estádios de 2010, nenhum deles novo (veja mais na tabela). Aliás, pelo contrário: o Loftus Versfeld, de Pretoria, foi erguido em 1906 e será a arena mais antiga a fazer parte de um cronograma de Copa.

O remodelado Ellis Park, em Johanesburgo, será o palco principal do torneio deste ano, com a disputa da final. Já o Soccer City, da mesma cidade, arena mais importante no cronograma do Mundial 2010, fica de fora, pois ainda não teve sua conclusão.

O orçamento total dos estádios da Copa foi estimado em US$ 650 milhões, mas esse valor deve ser estourado em pelo menos US$ 300 milhões, ainda assim menos dos que os 1,4 bilhão gastos nas 12 arenas do Mundial da Alemanha em 2006.

"Estamos prontos, a infra-estrutura está aqui e é imprescindível que tenhamos um forte comprometimento do governo", disse Danny Jordaan, chefe do Comitê Organizador da Copa do Mundo em evento nesta semana.

JOGOS DA 1ª FASE*
AP
Torres é destaque da seleção da Espanha
Domingo, 14/6 - Grupo A
11h - África do Sul x Iraque
15h30 - Nova Zelândia x Espanha
Segunda, 15/06 - Grupo B
11h - Brasil x Egito
15h30 - EUA x Itália
Quarta, 17/06 - Grupo A
11h - Espanha x Iraque
15h30 - África do Sul x Nova Zelândia
Quinta, 18/06 - Grupo B
11h - EUA x Brasil
15h30 - Egito x Itália
Sábado, 20/06 - Grupo A
15h30 - Iraque x Nova Zelândia
15h30 - Espanha x África do Sul
Domingo, 21/06 - Grupo B
15h30 - Itália x Brasil
15h30 - Egito x EUA
*horários de Brasília
LEIA MAIS DA SELEÇÃO BRASILEIRA
Com a bola rolando
Para testar o novo favoritismo espanhol em âmbito internacional, nada melhor que a presença de Brasil e Itália, conhecidas forças mundiais e maiores vencedores de Copas da história. No entanto, um eventual choque com brasileiros e italianos deve acontecer apenas a partir das semifinais, já que a seleção do técnico Vicente del Bosque caiu num grupo mais ameno na primeira fase, pelo menos na teoria.

Na primeira fase, a Espanha enfrentará Iraque e Nova Zelândia, campeões de suas respectivas regiões, que, a julgar por suas respectivas tradições, nadam assustam. O maior desafio para a equipe de Torres, Villa e Xavi deve ser mesmo a anfitriã África do Sul, muito mais pela empolgação local que envolve a participação dos Bafana Bafana no torneio do que propriamente capacidade do grupo comandado pelo brasileiro Joel Santana.

Os espanhóis estreiam na competição neste domingo, às 15h30 (horário de Brasília), contra o Iraque em Rustenburg. Na quarta, encaram a Nova Zelândia e, três dias mais tarde, encerram a participação na primeira fase contra a seleção da casa.

Na África do Sul, a Espanha terá nada menos do que 16 jogadores que integraram o grupo campeão da Europa no ano passado. No entanto, a Fúria disputa o torneio sem duas de suas principais peças, os meio-campistas Marcos Senna e Andrés Iniesta, descartados por lesão.

"Pelo que estão jogando, (são favoritos) sem dúvida", afirmou Dunga, técnico do Brasil. "É a seleção do momento, ganhou a Euro, a equipe a que vem jogando melhor. Se jogarmos contra eles, precisamos estar muito atentos", emendou o treinador.

No grupo B, Brasil e Itália despontam como favoritos às duas vagas nas semifinais, com Estados Unidos e Egito brigando para pintarem como surpresas. A primeira rodada da chave acontece na segunda-feira, com o time de Dunga debutando contra os egípcios, enquanto que os atuais campeões do mundo duelam com os norte-americanos.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host