! Egito protestará contra pênalti, e Dunga desdenha de reclamação - 15/06/2009 - UOL Esporte - Futebol
UOL Esporte Futebol
 
15/06/2009 - 14h22

Egito protestará contra pênalti, e Dunga desdenha de reclamação

O lance que decidiu a partida entre Brasil e Egito na abertura das disputas do grupo B da Copa das Confederações gerou tensão entre os adversários logo depois da partida nesta segunda-feira. O Egito avisou que vai protestar oficialmente em razão do pênalti assinalado pelo juiz inglês Howard Webb, após intervenção do quarto árbitro. Do lado brasileiro, o técnico Dunga desdenhou da reclamação após a vitória por 4 a 3 de seu time.

O LANCE POLÊMICO DA PARTIDA
AFP/Antonio Scorza
Brasileiros reclamaram imediatamente do toque do egípcio Al Muhamadi na bola
AFP/Robert Schmidt
O juiz assinalou o pênalti quase 3 minutos depois, e aí a reclamação foi do Egito
VEJA FOTOS DA PARTIDA
PAGINA DA C. DAS CONFEDERAÇÕES
BRASILEIROS CULPAM CANSAÇO
KAKÁ VÊ MUITO A MELHORAR
JULIO CÉSAR APONTA APRENDIZADO
No lance, já nos minutos finais do segundo tempo, quando o placar apontava 3 a 3, o egípcio Al Muhamadi cortou com o braço após a conclusão de Lúcio dentro da área. Inicialmente, a arbitragem assinalou apenas escanteio.

Em seguida, os brasileiros reclamaram bastante, o telão do estádio Free State mostrou claramente a infração e, finalmente, o quarto árbitro avisou Webb da penalidade, posteriormente convertida por Kaká.

Depois do jogo, a comissão técnica do Egito avisou que a federação do país formalizará uma reclamação junto à Fifa.

"Ele (árbitro) apitou um escanteio. A decisão do pênalti veio de fora, três minutos depois, com o quarto oficial que estava vendo pela TV. O Egito perguntará à Fifa quais são as regras. Queremos isso claro. Nossa federação vai reclamar", declarou Chawki Gharib, auxiliar técnico egípcio.

Vitorioso, o técnico Dunga desdenhou da reclamação dos rivais. "Isso é um problema do Egito, não é um problema nosso. Se vocês deixarem o Brasil treinar desde maio, como o Egito fez, veriam uma partida totalmente diferente", respondeu o treinador brasileiro, saindo do foco do debate.

"O árbitro viu que o jogador não tinha nenhuma marca no rosto e teve a percepção de que tinha colocado a mão na bola", emendou Dunga.

Autor do gol que selou a vitória brasileira em Bloemfontein, Kaká falou que a polêmica discussão pode ser interessante para o futebol. "O pênalti foi indiscutível, e o fato do quarto arbitro ter marcado é bastante positivo para o futebol. Nem sempre o árbitro enxerga tudo o que acontece em campo", disse o camisa 10 brasileiro.

Depois da vitória complicada sobre o Egito, o Brasil volta a campo pela Copa das Confederações na quinta-feira, quando enfrenta a seleção dos Estados Unidos na cidade de Pretoria (11h, de Brasília), em mais uma rodada válida pelo grupo B do torneio.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host