! Fifa cobra da África do Sul ação imediata por estádios cheios - 15/06/2009 - UOL Esporte - Futebol
UOL Esporte Futebol
 
15/06/2009 - 10h29

Fifa cobra da África do Sul ação imediata por estádios cheios

Depois da realização dos jogos do primeiro dia da Copa das Confederações, a Fifa manifestou publicamente através de seu presidente Joseph Blatter a preocupação com a baixa presença de público nas partidas inaugurais e pediu medidas emergenciais ao Comitê Organizador do evento, que já descartou a possibilidade de reduzir o preço dos ingressos.

PREOCUPAÇÕES PARA O MUNDIAL
AP
Joseph Blatter demonstra preocupação com a baixa presença de público nas partidas
AP
Apenas 21.649 pessoas acompanharam a partida entre Espanha e Nova Zelândia
IMAGENS DE BRASIL CONTRA EGITO
MAIS DA COPA DAS CONFEDERAÇÕES
No domingo, a África do Sul, seleção anfitriã do torneio, jogou diante de 48.837 torcedores contra o Iraque no estádio Ellis Park, em Johanesburgo. Segundo Blatter, presente no local, muitos ingressos tiveram que ser cedidos a crianças que participaram da cerimônia de abertura, para que espaços vazios fossem ocupados. A arena comporta 60 mil pessoas.

Mas a maior decepção da entidade aconteceu com a marca de público presente no estádio da cidade de Rustenburg para a partida entre Espanha e Nova Zelândia. Apenas 21.649 pessoas acompanharam o massacre dos campeões europeus por 5 a 0, deixando a arena com aspecto de esvaziada. A capacidade local é de 42 mil torcedores.

"Vocês dizem que o estádio estava meio cheio. Li num jornal dos Estados Unidos que tinha somente um terço da capacidade total. A verdade é que o Comitê Organizador precisava ter feito mais", declarou Blatter em encontro com a imprensa na cidade de Bloemfontein, antes do jogo entre Brasil e Egito.

"Precisamos ver alguma ação do Comitê Organizador para que os estádios fiquem cheios, para trazer pessoas às arquibancadas. Eles têm que fazer, têm que mostrar habilidade em conseguir isso. Até porque o ingresso não está tão caro assim", emendou o presidente da Fifa, em cobrança pública escancarada.

No final da última semana, o Comitê Organizador da Copa das Confederações informava ter vendido pouco mais de 71% dos ingressos do torneio e revelava otimismo em bater a marca da edição anterior do torneio, na Alemanha, em 2005, quando mais de 85% dos bilhetes foram negociados.

Nesta segunda-feira, os organizadores sul-africanos informaram que os valores dos bilhetes não serão reduzidos para tentar melhorar os públicos dos jogos. "Você pode levar o cavalo até a água, mas não pode obrigá-lo a beber", disse Rich Mkhondo, porta-voz do Comitê Organizador. "Não estamos dizendo que tudo foi perfeito ontem [domingo], mas estamos satisfeitos com a maneira como tudo aconteceu", completou.

*Com agências internacionais

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host