! Torcedor flamenguista roda África do Sul em preparação para 11ª Copa - 17/06/2009 - UOL Esporte - Futebol
UOL Esporte Futebol
 
17/06/2009 - 07h09

Torcedor flamenguista roda África do Sul em preparação para 11ª Copa

A África do Sul não é um destino fácil para torcedores brasileiros, mas alguns deles dão o ar da graça na disputa da Copa das Confederações para acompanhar a seleção de Dunga. Entre os fãs que vieram do país para o torneio, um baixinho torcedor do Flamengo exibe um dos currículos de arquibancada mais impressionantes do mundo.

Bruno Freitas/UOL
Flamenguista Moraes (e) testemunhou todas as Copas do Mundo realizadas desde 1970
Alexandre Sinato/UOL
Moraes exibe revista que conta algumas de suas experiências em estádios pelo mundo
QUARTETO: EFICIÊNCIA SUPERA MAGIA
LEIA NOTÍCIAS NA PÁGINA DA SELEÇÃO
MAIS DA COPA DAS CONFEDERAÇÕES
O piauiense Francisco Albertino Moraes tem rodado a África do Sul, com sua inseparável camisa do Flamengo, além da bandeira do Brasil, com a finalidade de aumentar seu currículo como torcedor e de se preparar para testemunhar com os próprios olhos a 11ª Copa da vida, feito para pouquíssimos mundo afora.

Moraes, que não perde uma Copa desde 1970, diz não ter dificuldades para bancar sua vida na estrada atrás dos grandes eventos de futebol. "Dinheiro não é problema para mim", afirma, sem entrar em detalhes.

Além da sequência de Copas, o devotado torcedor se orgulha de ter acompanhado todas as participações da seleção em eliminatórias desde 1968 e de ter testemunhado todos os jogos do Flamengo entre 1973 e 1991.

"Vi tudo neste período, não perdi um jogo do Zico pelo Flamengo", conta o onipresente torcedor, que conseguiu se aproximar de seu grande ídolo. "Virei até amigo dele, quase um irmão. Falo com ele quase todos os dias", afirma.

No ápice do grande time rubro-negro da 'Era Zico', Moraes estava perto de seus ídolos na histórica vitória sobre o Liverpool no Japão, na decisão da Copa Intercontinental, na ocasião que lhe valeu a reputação de "maior flamenguista do mundo".

"Vi o time ser campeão mundial lá no Japão. Depois do jogo, o Tita jogou a camisa dele para mim. Disse: 'Essa é para o maior torcedor flamenguista do mundo'', descreve.

Na bagagem que levou à África do Sul, Moraes carrega exemplares da revista 'Histórias de Torcedor', em que muitas de suas experiências nos estádios estão registradas. Lá, conta que já foi do Iraque à Líbia, passando pelo Zaire, Arábia Saudita, Kwait, Japão, Trinidad e Tobago, Bahrein, Gabão, Argélia, Angola, Tunísia, EUA e praticamente todos os países de Europa, América do Sul e Central.

Na publicação, diz estar sem companheira, pois "não há mulher que agüente essa vida de rubro-negro".

"Quando me separei, minha mulher queimou camisas de jogos, um bolo enorme de ingressos, várias relíquias. Perdi muito dinheiro", conta o flamenguista, que diz ter lucrado R$ 1.000,00 com a venda do ingresso do jogo de seu time com o Liverpool em 1981.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host