Topo

Futebol


Álcool, farra e fim de carreira: destaques relembram Fla x Vasco de 2006

Carlos Moraes/Folha de S. Paulo
Valdiram e Luizão fizeram história em 2006 por Vasco e Flamengo na Copa do Brasil Imagem: Carlos Moraes/Folha de S. Paulo

Pedro Ivo Almeida e Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

2015-08-26T06:10:00

26/08/2015 06h10

Vasco e Flamengo se enfrentam nesta quarta-feira (26), às 22h, no Maracanã, por uma vaga nas quartas de final da Copa do Brasil. Será mais um duelo decisivo entre os rivais e com potencial para promover novos herois, personagens polêmicos e histórias.

Foi assim que a final da competição de 2006 entre Cruzmaltino e Rubro-negro ficou marcada. Na ocasião, o time da Gávea venceu os dois jogos - 2 a 0 e 1 a 0 - e sagrou-se bicampeão. Os atacantes Valdiram e Luizão escreveram os nomes nas campanhas e as carreiras mudaram consideravelmente a partir dali.

Artilheiro daquela edição da Copa do Brasil, o então jogador vascaíno ficou apenas com o prêmio individual. Derrotado na final, Valdiram não conseguiu que o sucesso impulsionasse a equipe diante do maior rival. E, segundo o próprio, motivos não faltaram para que o momento fosse melhor.

"Eu era artilheiro na época, o cara do time, pi... para caramba, e não tinha cabeça. Só queria saber de pagode, álcool, cigarro e farra. No dia seguinte, ainda faltava ao treino, era complicado. Não tive cabeça para me concentrar ali. A carreira desandou. Não aproveitei aquele sucesso", resumiu.

Mesmo longe dos holofotes e com uma trajetória marcada por polêmicas, Valdiram não desistiu de reparar a derrota de 2006 e acredita que o Vasco pode conquistar o tão sonhado título em 2015. E, surpreendentemente, com ele em campo.

"Hoje, com uma chance dada pelo Eurico Miranda, estou aqui no Vasco de novo. Me recupero de um problema grave no joelho, mas em fase final do tratamento. No início de outubro, no máximo, estarei pronto. Vamos passar pelo Flamengo e chegar à final. E eu estarei lá. É um sonho que tenho. Já estarei recuperado e, com a cabeça no lugar, posso ganhar o título que não consegui em 2006. Só preciso de uma chance e o presidente falou que eu terei", disse.

Campeão do mundo em 2002 e daquela Copa do Brasil, Luizão também teve problemas. Ele brilhou pelo Flamengo, mas sofreu com problemas físicos e viu a vitoriosa carreira entrar no capítulo final.

"Tenho várias lembranças daquela decisão. Fiz um gol, fui muito feliz nos jogos e ainda ganhamos o título. Foi um momento especial ganhar aquela Copa do Brasil com o Maracanã lotado. Mas nem tudo era fácil. Passei por um problema muito grande. Precisei de duas infiltrações para jogar as partidas, já que tinha uma lesão crônica no pé. Eu não conseguia aguentar a dor, foi duro. Depois, ainda passei por uma cirurgia para tentar corrigir o problema no ligamento [de Lisfranc], mas não era mais o mesmo. Aquilo ali abreviou a minha carreira", recordou o atacante, que fez apenas seis jogos como profissional após aquela conquista.

Foram quase quatro anos de luta contra o problema que por pouco não o tirou das finais. Após tentativas sem sucesso no tratamento e passagens apagadas por São Caetano, Guaratinguetá e Rio Branco, o atacante pendurou as chuteiras. Além de ter feito história no Flamengo, Luizão também escreveu o nome no clube de São Januário com a conquista da Copa Libertadores de 1998. E a aposta está justamente no Cruzmaltino para avançar às quartas de final.

"É difícil falar, trata-se de um clássico. Mas pela vantagem do primeiro jogo e por se tratar de um duelo muito truncado, acredito que o Vasco se classifica. Vai ficar no empate e eles levarão a melhor", pontuou.

Valdiram e Luizão marcaram história de diferentes formas, assim como fez Juan. O ex-lateral esquerdo do Flamengo assinalou o gol do título em 2006, recordou a final e mostrou que o Rubro-negro tem força suficiente para inverter a vantagem e passar de fase.

“O Flamengo sempre é muito forte jogando no Maracanã e pode mudar qualquer resultado. O time é muito bom e se jogar com vontade tem tudo para conquistar o objetivo. O Vasco tem a vantagem, mas um clássico como esse nunca aponta favoritos. Sempre é um jogo decidido em pequenos detalhes e isso será determinante”, encerrou.

Como venceu o primeiro jogo por 1 a 0 - gol de Jorge Henrique -, o Cruzmaltino tem a vantagem do empate para avançar às quartas de final da Copa do Brasil. O Rubro-negro precisa de uma vitória por dois gols de diferença. Triunfo da equipe da Gávea por um tento leva a decisão para os pênaltis (como os dois jogos são no Maracanã, não há como critério de desempate o gol feito como visitante).

VASCO X FLAMENGO

Data/hora: 26/08/2015, às 22h
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Guilherme Dias Camilo (MG)

Vasco
Martín Silva; Madson, Rodrigo, Anderson Sales e Christhiano; Guiñazu, Serginho, Julio dos Santos e Nenê; Jorge Henrique e Riascos
Técnico: Jorginho

Flamengo
Paulo Victor (César); Pará, Marcelo (César Martins), Samir e Jorge; Márcio Araújo, Canteros, Ederson e Everton; Emerson Sheik e Guerrero
Técnico: Oswaldo de Oliveira

Mais Futebol